Adão Esmite* revisitado a propósito das remunerações dos gestores

” (…) Talvez seja oportuno recordar que Adam Smith levava a sua embirração pelas sociedades anónimas ao ponto de defender a sua interdição, precisamente porque no modo como eram governadas ele não vislumbrava a mão invisível do mercado mas a manipulação de muitos por muito poucos.”

João Pinto e Castro em “O mercado tem as costas largas

* Leia-se Adam Smith com pronúncia de uma parte do Brasil (Rio?) como o fazia uma professora dos tempos da faculdade.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.