Síntese de Conjuntura do INE – Agosto de 2007

"No II trimestre, o ambiente económico internacional apresentou-se menos favorável à economia portuguesa. O PIB registou um abrandamento do I para o II trimestres, passando de 2,0% para 1,6%, reflectindo sobretudo a desaceleração das exportações.

Os dados preliminares do comércio internacional relativos ao I semestre, revelam que, no II trimestre, se verificou uma redução de 5,3 p.p. no crescimento homólogo das exportações em valor face ao trimestre anterior; paralelamente registou-se uma aceleração das importações de 2,4 p.p.. Ainda assim, no II trimestre, as exportações apresentaram um crescimento nominal mais forte do que as importações (6,2% e 4,0%, respectivamente).

A procura interna registou alguma aceleração no II trimestre, determinada, sobretudo, pela evolução do investimento.

Embora registando uma evolução menos dinâmica do que o investimento, o consumo privado terá acelerado ligeiramente devido a um crescimento acentuado do consumo de bens duradouros que mais do que compensou a desaceleração observada ao nível do consumo corrente. A informação já disponível para Julho indicia que esta diferença de comportamentos se terá mantido. No II trimestre, o emprego diminuiu 0,5% em termos homólogos, após um crescimento marginalmente positivo no trimestre precedente.

A taxa de desemprego situou-se em 7,9%, mais 0,6 p.p. do que no trimestre homólogo de 2006 (no primeiro trimestre de 2007 foi de 8,4%, mais 0,7 p.p. do que no trimestre homólogo). Em Julho, a inflação foi de 2,4%, o nível registado nos dois meses anteriores."

Texto Integral no local do costume (a seu devido tempo, imagino). 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.