Impactos Financeiros do Encerramento da Opel da Azambuja

Linha de montagemO encerramento da fábrica da Opel da Azambuja, terá no decorrer do ano de 2007, um conjunto de impactos, que qualquer analista deverá ter em conta.

  1. A perda de 1.200 postos de trabalho directos e 4.000 postos de trabalho indirectos. Na sua totalidade, o impacto destes postos de trabalho na taxa de desemprego sofrerá um aumento de 1,30%. No entanto, este impacto, poderá a seu tempo ser mitigado, com a criação líquida de emprego na zona do eixo Vila Franca de Xira- Santarém.
  2. Aos 5.200 postos de trabalho, deixaram de ser pagos anualmente cerca de 81,2 milhões de euros de salários, sendo que sobre estes salários que deixaram de ser pagos :
  3. Existem cerca de 26,5 Milhões de Euros de contribuições para a Segurança Social que deixam de ser realizadas, e 17 Milhões de Euros de IRS a título de retenções na fonte que não entrarão nos cofres do fisco.
  4. Como os trabalhadores têm direito a subsídio de desemprego, mesmo com a nova lei em vigor, existe a extinção do posto de trabalho, o montante de subsídio de desemprego, a ser pago ascenderá anualmente a 91 Milhões de Euros.
  5. Assim, o custo efectivo total do Estado com o encerramento da Opel da Azambuja, será em 2007 de 134 Milhões de Euros.

Há no entanto um impacto maior e que não tão vísivel financeiramente. A Opel da Azambuja, representava sensívelmente 3,20 % das exportações portuguesas, que deixam de facto de acontecer. Como as exportações portuguesas são anualmente de 30 mil milhões de euros, então é um facto que deixam de existir 960 milhões a menos de exportações realizadas. Para além do agravamento das necessidades de financiamento externo, decorrentes do aumento do défice da balança comercial.

O impacto no PIB do “desaparecimento” de 960 milhões de euros das exportações, é de um menor impacto do contributo das exportações para o PIB, cujo efeito “Opel Azambuja” será de menos 0,65 % de crescimento do PIB. Por exemplo, se o efeito fosse sentido na integra em 2007, em vez da economia crescer como previsto 1,80 %, apenas cresceria 1,15 %.

Sintomático e assustador.

2 comentários sobre “Impactos Financeiros do Encerramento da Opel da Azambuja

  1. Não te esqueças de componente importada dessas exportações. Felizmente era muito maior na Opel do que, por exemplo, na Autoeuropa. Daí também o susto não ser tão grande – em princípio.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.