Taxa de Inflação 2023 - Portugal

Taxa de inflação em 2023: avaliação final

A taxa de inflação em 2023 fixou-se nos 4,3%. Ou por outras palavras, foi esta a variação média anual dos preços do cabaz que compõe o índice de preços no consumidor (IPC) apurado mensalmente pelo INE; registado em dezembro de 2023. Este valor compara com uma taxa de inflação anual para 2022 de 7,8%.

Quando o INE divulgou a informação final, a 11 de janeiro, sublinhou também que:

“A taxa de variação homóloga do IPC total evidenciou uma trajetória de descida ao longo do ano, destacando-se os meses de abril e maio, com abrandamentos de 1,7 pontos percentuais (p.p.). A desaceleração do IPC verificou-se na maioria das categorias de produtos, refletindo o efeito base associado ao aumento de preços em 2022, a diminuição dos preços dos bens energéticos e a isenção do IVA aplicada a alguns bens alimentares essenciais a partir de maio. “

Taxa de Inflação em 2023, a uma décida de acertar em cheio

Como alguns se recordarão durante o ano de 2023 fomos aqui efetuando um exercício de previsão para o valor final da taxa de inflação em dezembro de 2023. Pode recordá-lo aqui: Como está a envelhecer a nossa projeção para a inflação de 2023? 

A última atualização que realizamos ocorreu em junho de 2023, uma previsão que recordamos seguia o princípio de ser “preguiçosa e desprovida de complexidade espalhafatosa”.

A 5 de junho e já incorporando a inversão de tendência que apontava para uma forte desaceleração da inflação a que juntámos o efeito de base apontávamos para um inflação em final de ano entre os 4,1% e os 4,2%. Isto sensivelmente na mesma altura em que o Banco de Portugal revia as suas estimativas para 5,2% (IHPC), a OCDE apontava para 5,7%, a Comissão Europeia para 5,1% e o Conselho de Finanças Públicas (previsão em setembro) apontava ainda para uns robustos 5,2%.

Pois fechou em 4,3% mais uma décima do que o nosso muito apertado intervalo projetado a 4 de junho.

Convenhamos que não temos razões para embaraço.

Taxa de Inflação 2023 - Portugal

Entretanto em janeiro de 2024, a inflação voltou a desacelerar e a variação média anual caiu para 3,8% fruto de um fortíssimo efeito de base (não é comum a média anual cair 5 décimas num único mês).

Deixar uma resposta