Espanha, França e Itália lideram quedas no PIB do 2º trimestre de 2020

Será das maiores ou mesmo a maior queda de sempre no PIB português num trimestre e tem associada um número: o PIB do 2º trimestre de 2020 contraiu 16,5% face ao mesmo trimestre do ano anterior.

Esta queda compara com um colapso do PIB em vários países europeus.

Para aqueles que já há dados preliminares, como Portugal, constata-se que os países mais expostos ao turísmo são os mais afetados como a Espanha (-22.1%) a liderar este ranking pouco invejável. A nível médio, para o conjunto da União Europeia (dados para 10 dos 27 países) a queda foi de 14,4%

 

Motivos para a queda do PIB do 2º trimestre de 2020

A pandemia por COVID-19 é o principal motivo para este colapso histórico. Segundo o INE, este resultado é explicado em larga medida pelo “contributo negativo da procura interna para a variação
homóloga do PIB, que foi consideravelmente mais negativo que o observado no trimestre anterior, refletindo a expressiva contração do consumo privado e do Investimento.

Mas o INE destaca também que o “contributo negativo da procura externa líquida também se acentuou no 2º trimestre, traduzindo a diminuição mais significativa das Exportações de Bens e Serviços que a
observada nas Importações de Bens e Serviços devido em grande medida à quase interrupção do turismo de não residentes.

E, de facto, considerando a lista e a respetiva ordenação hierárquica por impacto no PIB dos países europeus que já divulgaram dados, a suspeita de que o impacto no turismo será parte da explicação para a maior intensidade da receção é evidente.

Espanha, França, Itália e Portugal estão entre os países onde o peso do turismo é mais significativo para a sua economia.

De positivo fica a nota que aqui ontem divulgámos já com dados para o primeiro mês do terceiro trimestre. A recordar: Confiança dos empresários confirma recuperação – Julho 2020 

Tagged under:

Deixar uma resposta