Indicador de Clima Económico colapsa para pior registo histórico

O Indicador de Clima Económico colapsa para pior registo histórico segundo a informação de conjuntura divulgada pelo INE relativa a abril de 2020.

O INE, atendendo à singularidade do momento sócio-económico valorizou excessionalmente a análise mensal do indicador de clima (por oposição à média móvel de três meses). E essa análise direta revela o pior registo desde que se iniciou a série histórica em janeiro de 1989.

 

Indicador de Clima Económico colapsa

O indicador de clima resulta da agregação dos indicadores de confianças de quatro setores de atividade (ver nota metodológica no final). Os indicadores de confiança, por sua vez, recolhem as opiniões sobre várias questões junto das respetivas direções das empresas.

Fonte: INE

E, sem surpresa, todos os indicadores sectoriais registaram degradações significativas nos índices de confianças. Vejamos quais os mais afetados em termos de sentimento económico, segundo a análise do INE.

 

Indústria Transformadora

O indicador de confiança da Indústria Transformadora atingiu o valor mínimo desde abril de 2009, em resultado da redução mais acentuada desde o início da série.

O comportamento do indicador refletiu os contributos negativos do saldo das apreciações relativas à evolução da procura global, que atingiu em abril o valor mínimo desde março de 2013, e das perspetivas de produção da empresa que registaram o valor mínimo da série. As opiniões sobre os stocks de produtos acabados contribuíram positivamente para o indicador. (…)

Construção e Obras Públicas

O indicador de confiança da Construção e Obras Públicas apresentou em abril a diminuição mais intensa da série, atingindo o valor mínimo desde novembro de 2015.

Este comportamento refletiu o contributo fortemente negativo de ambas as componentes, apreciações sobre a carteira de encomendas e perspetivas de emprego, que atingiram novos mínimos desde julho de 2016 e setembro de 2013, respetivamente. (…)

Comércio

O indicador de confiança do Comércio diminuiu de forma expressiva em abril, registando um novo mínimo da série.
Esta evolução resultou do contributo negativo das perspetivas de atividade da empresa nos próximos três meses, que registaram um novo mínimo da série, das opiniões volume de vendas e das apreciações relativas ao volume de stocks.
Por subsector, o indicador de confiança diminuiu de forma mais acentuada no Comércio a Retalho que no Comércio por Grosso. Em ambos os subsectores, todas as componentes registaram agravamentos acentuados, com maior expressão no caso das perspetivas de evolução da atividade da empresa. (…)

Serviços

O indicador de confiança dos Serviços diminuiu para o valor mínimo da série iniciada em abril de 2001, com os contributos negativos de todas as componentes, que registaram a maior redução mensal das respetivas séries e atingiram valores mínimos.

Como se calcula o Indicador de Clima?

O INE recorda nas notas técnicas que se trata de um:

Indicador sintético estimado internamente a partir dos saldos de respostas extremas de questões relativas aos Inquéritos Qualitativos de Conjuntura à Indústria Transformadora, ao Comércio, à Construção e Obras Públicas e aos Serviços.

A metodologia deste indicador baseia-se na análise fatorial e a série estimada (a componente comum) é calibrada tomando como referência as taxas de variação do PIB em volume, aplicando-se ainda um alisamento final, através de médias móveis de três meses.

Cada indicador de confiança sectorial é, ele próprio, resultante dos saldos de respostas extremas de um conjunto específico de perguntas.

Não deixe de ler todos os artigos sobre o COVID-19 que temos publicado, muitos deles destacando perguntas e respostas sobre algumas das medidas mais emblemáticas.

Tagged under:

Deixar uma resposta