Regras de Reciclagem: nem todo o vidro deve ir para o vidrão

As boas intenções quando armadas de informação incompleta ou errada podem ser um sarilho e ter um efeito exatamente oposto ao desejado. Hoje trazemos um pequeno exemplo sobre as regras de reciclagem que, apesar de não ser uma novidade, estamos em crer que ainda não é de conhecimento generalizado. Referimo-nos ao facto de nem todo o vidro ter lugar no vidrão.

As campanhas iniciais de promoção dos vidrões, aqueles que foram dos primeiros instrumentos massificados de tentativa de reciclagem junto dos particulares, podem ajudar a explicar porque é que tanto estão convencidos de que todo o vidro deve ser depositado no vidrão. Na verdade, não é assim.

Se por azar partir vidros em casa como copos, janelas, saladeiras, pirex, garrafas de cristal, lâmpadas, frascos de perfumes ou espelhos ou se simplesmente pretender deixar de os usar e quiser colocar no lixo, fique a saber que o lugar destes tipos de vidro não é no vidrão.
Note que a decisão não tem nada a ver com o facto das peças de vidro estarem ou não partidas, afinal, as garrafas quando entram no vidrão raramente ficam inteiras, a questão está relacionada com o tipo de vidro que é diferente do que se pretende reciclar.

O objetivo do vidrão é recolher vidro de embalagens, tipicamente garrafas, boiões, frascos de vidro (de compotas, de misturas solúveis, conservas). Trata-se de um vidro que recebe um tratamento similar, com ponto de fusão semelhante e que, sendo homogéneo, facilmente se recicla sendo reaproveitado para o mesmo fim.

Regras de Reciclagem

Regras de Reciclagem Fonte: Sociedade Ponto Verde

Se no meio do vidro das embalagens surgir outro com outra composição química, ponto de fusão diferente, o lote deixa de ser homogéneo e o tratamento de reaproveitamento deixará de ser adequado resultando num vidro impróprio para voltar a desempenhar o seu papel como garrafa.
Ou seja, a boa intenção de reaproveitar e reciclar todo o vidro, misturando garrafas com outros tipos de vidro, pode arruinar uma quantidade considerável de vidro de embalagem que terá que ser descartado.

Em suma:

  • Vidro de garrafas de bebidas, frascos e boiões de alimentos no vidrão;
  • Outros vidros no caixote de lixo doméstico indiferenciado, de preferência colocado num cartão para evitar ferir quem processa o lixo.

Boas reciclagens!

Tagged under:

2 Comments

  • António SilvaResponder

    Boa Tarde

    Atenção à descrição do material reciclável!
    Existe incoerência entre os materiais recicláveis incluídos na vossa lista e os incluídos na listagem da quercus.
    Sendo difícil fazer a escolha certa ao menos que quando consultamos a informação a mesma seja coerente entre todas as fontes

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      A lista que usámos é a da Sociedade Ponto Verde que faz a recolha em parte da área metropolitana de Lisboa.

Leave a Reply

Your email address will not be published.