Onde é que todos estes empresários arranjaram as suas ideias de negócio?

Ideias de negócio

De acordo com os especialistas, a coisa mais importante é como gerir a ideia de negócio, mas sem essa primeira intuição, que é a ideia, não há nada.

Assim, hoje resolvemos escrever algo diferente! Apresentamos-lhe de seguida algumas das respostas mais frequentes dadas pelas pelos gestores de startup’s relativamente à sua fonte de inspiração.

 

Ter um negócio próprio: como conseguir inspiração para se diferenciar?

Ter um negócio próprio não é propriamente o mar de rosas que a grande maioria das pessoas pinta. E, contrariamente ao que possa pensar, as ideias mais inovadoras podem surgir em qualquer lugar e a qualquer hora.

Conheça de seguida a resposta que vários empreendedores de todo o mundo deram à questão “De onde surgiu a inspiração para ter um negócio próprio?

 

1 – Num intercâmbio em Nova York

Foi durante seu tempo em Nova York, onde ela fazia de um intercâmbio depois de terminar o MBA, que Virginie Rogé descobriu a moda dos sumos saudáveis para restaurar o corpo.

Em Nova York ela descobriu e experimentou pela primeira vez, mas não gostou dos sabores. Assim, quando retornou a Espanha, decidiu replicar a ideia, mas com uma versão melhorada dos sabores e ampliando a gama de produtos.

E assim nasceu a Dietox. Desde que a empresa foi fundada, em 2015, não parou de crescer.

 

2 – Da experiência enquanto trabalhador por conta de outrem

“Anteriormente eramos distribuidores exclusivos de produtos de higiene para mãos, o que nos permitiu adquirir conhecimentos chave e conhecimento do mercado para lançar uma linha de produtos que revolucionaria o mesmo”, disse Andrea Lisbona, fundadora da Touchland, distribuidora de um dispensador portátil de higiene para as mãos.

Ana Olmos, uma das fundadoras da Fabulist Travel, onde fazem planos turísticos para as famílias, expressou-se de forma muito semelhante.

“Este projeto nasceu da nossa própria experiência como viajantes e da experiência de pessoas próximas a nós que tiveram filhos, como foi o caso da minha irmã, que hoje tem duas meninas que têm a sorte de ter conhecido muito do mundo com apenas oito anos de idade”.

Neste caso, a ideia também surgiu na família, uma vez que ambas as fundadoras da marca são irmãs.

 

3 – Da sua própria necessidade

Insulclock é um dispositivo eletrónico que evita erros no fornecimento diário de insulina para pessoas com diabetes.

“Quando necessita de fazer a injeção várias vezes por dia, é normal que acabe por cometer erros.

Por vezes esquece-se, outras vezes muda de dose, por vezes confunde os tipos de insulina… e o pior é que o especialista programa todo o tratamento baseado nos dados de controle que apresenta.” Esta história é contada por José Luis López, um dos dois cofundadores desta marca, sendo ele próprio diabético.

 

4 – Dos seus próprios gostos pessoais

Vai terminar o curso de farmácia porque gosta de lidar com as pessoas e porque é essa a promessa que fez aos seus pais.

Mas o que Carlos Martínez realmente gosta é de empreender e viajar. Ele tem conseguido ambos com Enjoymaps. Através de um site ele vende cartazes com tinta riscável com os principais monumentos de cada país.

Acaba de lançar o primeiro mapa com raspadinha de Espanha no mercado com o qual espera “motivar as pessoas a viajar e viver novas experiências, além de manter uma memória original e exclusiva“.

 

5 – Ser diferente da concorrência

Às vezes é tão simples como parar para ver o que a sua concorrência faz e aproveitar o que se repete em todos para ser diferente nesse ponto.

Assim, António Casado Mena, advogado de formação, não necessitava de investimentos em Inovação nem de desenvolvimentos tecnológicos.

No seu caso, bastava notar a ausência de escritórios de advocacia na rua e a tensão que alguns clientes sentiam ao entrar dentro do escritório de um advogado.

Isso serviu para o encorajar a abrir um escritório no centro comercial de Eroski, em Cartagera. Em apenas um ano, o seu negócio cresceu 285%.

 

6 – O mesmo produto, mas com um sabor diferente

Aproveitando o fato de que a cerveja artesanal se tornou moda, El Comando Cervecero lançou um produto de nome andaluz, Destraperlo, para dar à cerveja sabores diferentes.

Alecrim ou beterraba são alguns dos ingredientes incorporados nas suas receitas para obter novos sabores.

Também em Cítrico Drink decidiram fazer vinhos e outras bebidas alcoólicas utilizando a laranja como principal ingrediente.

 

7 – Dar uma nova oportunidade ao que já existe

Este é um produto existente no mercado, por mais maduro que seja, é possível reinventá-lo com outras propriedades.

Um exemplo claro seria a segunda vida do alho que a população de Las Pedroñeras conseguiu com o alho preto e a difusão das suas qualidades saudáveis.

Com base na tecnologia, mas também aproveitando o que já existe, está a ideia de Pivotta, uma startup que visa vender ativos tecnológicos de projetos que falharam para outras startups que necessitam dos mesmos.

Como vê, não é só de desenvolvimento de e-commerce que se fazem bons negócios. A inspiração pode surgir onde mesmo se espera.

Tagged under:

3 Comentários

  • JoséResponder

    O maior problema está sempre em conseguir o financiamento adequado ao desenvolvimento das boas ideias!
    Por outro lado infelizmente nas nossas escolas existem poucos recursos que potenciem o espírito criativo, inovadir, empreendedor e gosto pelo risco.

  • ManuelResponder

    O maior problema não são as escolas,mas,sim, os Ministérios. A obsessão pelo défice a isso obriga.

  • Pedro FidalgoResponder

    Podemos ter uma ideia excelente e depois não conseguir levá-la à prática, mas sem ideia não há produto ou serviço! Quem tem espírito empreendedor não desmoraliza com financiamentos ou burocracias.
    Abraço

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.