Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia

DMIF II – Saiba como foi reforçada a proteção aos investidores

A 1 de agosto de 2018 entrou em vigor em Portugal a nova Diretiva dos Mercados de Instrumentos Financeiros (DMIF II). Este diretiva comunitária vem, entre outros, reforçar a proteção dos investidores não profissionais em instrumentos financeiros, alterando a regulação dos mercados de capitais e responsabilizando mais os respetivos intermediários financeiros, emitentes e demais agentes de mercado.

 

O que muda com a DMIF II:

A CMVM, o regulador nacional do mercado de capitais emitiu a propósito um breve comunicado sobre o tema tendo também disponibilizado algumas ligações úteis para informação do público. Destacamos em especial as perguntas e respostas sobre a DMIF II.

DMIF II

Clique para ser redirecionado para o sítio da CMVM – Perguntas e respostas sobre a DMIF II

Eis alguns destaque tendo por base o comunicado da CMVM:

  • Aumentam os deveres de informação a ser prestada ao cliente, tanto na fase pré-contratual como pós-contratual;
  • Aumentam os deveres de conhecimento do cliente e dos produtos e serviços que melhor se adequam ao seu perfil;
  • Passa a ser obrigatória a definição de características e tipologias de clientes que configuram o mercado-alvo de cada produto;
  • Os intermediários financeiros não podem promover instrumentos financeiros que se encontrem fora do mercado-alvo que tenha sido identificado;
  • Os intermediários financeiros são obrigados a ter uma política de governação dos produtos que comercializam.
  • Exige-se o reforço das competências dos colaboradores do intermediários financeiros ao introduzir um dever de prestação regular de formação, de forma a garantir que estes detêm os conhecimentos necessários para prestar informações adequadas aos clientes;
  • Exige-se, no s intermediários financeiros, a adoção de procedimentos internos e políticas que previnam e minimizem conflitos de interesse, de forma a dar cumprimento ao dever de agir no interesse do cliente;
  • São alteradas as regras aplicáveis ao pagamento ou receção de remunerações, comissões ou quaisquer benefícios monetários ou não monetários dos colaboradores do Intermediários Financeiros;
  • O diploma vem igualmente clarificar o conceito de consultoria para investimento independente.

 

Outras alterações além da DMIF II:

A CMVM informa ainda que, no mesmo dia, o no mesmo diploma, entram em vigor outras alterações fora da  DMIF II mas sobre o mesmo âmbito, nomeadamente:

  • Alterações ao regime jurídico aplicável aos pacotes de produtos de investimento de retalho e de produtos de investimento com base em seguros, conhecidos por PRIIPS, criando limites às vendas cruzadas de produtos e serviços financeiros;
  • Proíbe-se a possibilidade de vendas cruzadas que integrem depósitos, a comercialização de depósitos em associação com a aquisição de instrumentos financeiros, contratos de seguro e outros produtos financeiros de poupança ou de investimento que não garantam, a todo o tempo, o capital investido.

Iremos abordar em mais detalhes algumas das alterações me artigos futuros do Economia e Finanças sobre a DMIF II.

Mais Informação:

 

 

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.