DECO Proteste reforça serviços e lança campanha de angariação de associados

Ofertas DECO

Volvidos alguns anos, voltamos a promover os serviços da DECO Proteste junto dos nossos leitores. Fazemo-lo escrutinando detalhadamente a proposta que está neste momento a ser oferecida a quem quer contar com informação útil e abrangente e com apoio especializado na sua relação com os múltiplos prestadores de serviços e vendedores com que lida regularmente.

A DECO Proteste está a propor uma assinatura com um preço reduzido durante os primeiros 12 meses, permitindo ao consumidor desistir quando quiser e de forma fácil e gratuita (por telefone, email ou carta). Naturalmente, o objetivo será o de que o consumidor fique de tal forma satisfeito com os produtos que irá receber e com os serviços de que poderá usufruir que consiga perceber o valor de se manter como sócio da DECO Proteste mesmo após o fim do período promocional. No entanto, como dissemos, não há contrato de fidelização, sendo a DECO Proteste fiel a um dos princípios que defende em muitos mercados.

 

E qual é exatamente a oferta e porque é que lhe pode interessar?

Da nossa parte valorizamos a receção regular de revistas com exames especializados a produtos e vendedores (Proteste, Dinheiro & Direitos e Teste Saúde), o acesso ao Portal da DECO Proteste e à APP da DECO que facultam um número considerável de simuladores, artigos e documentos informativos úteis para o dia a dia e ainda o acesso a apoio especializado nas situações de conflito com prestadores de serviços e fornecedores em geral. As revistas a que se tem acesso bem como a frequência a que se pode recorrer ao aconselhamento especializado depende da modalidade escolhida (entre as duas possíveis) para se ser associado, sendo que cada modalidade terá preços diferentes.
Adicionalmente, há ainda os tradicionais chamarizes materiais que servirão para estimular alguns leitores a testarem associar-se à DECO Proteste mas que, no longo prazo, serão menos relevantes. Ainda assim, parecem ser interessantes, até porque, como dissemos não implicam qualquer fidelização ou necessidade de devolução caso pretenda interromper a relação. O que já recebeu pertence ao subscritor, sem necessidade de devolução.

 

Plano Superior

Na modalidade “Plano Superior”, que inclui todas as revistas (Proteste, Dinheiro & Direitos e Teste Saúde), e acesso ilimitado aos serviços de aconselhamento, ao Portal e à APP, entre outros, o cliente receberá ainda um Smartphone Android (Dual Sim, 3G, 8 GB expansível a 32 GB, câmara frontal e traseira, Android 7.0, rádio FM, Bluetooth, GPS e o indispensável Wi-Fi). Um produto talvez recomendável como primeiro telemóvel para uma criança ou para uma emergência ou ainda para utilizador moderado.

Este Plano custará €2 em cada um dos dois primeiros meses, subindo para €6,95 nos 10 meses seguintes e para €14,20 posteriormente. O associado pode anular a subscrição a qualquer momento sem ter de se justificar, ficando com os produtos que já tenha recebido. No primeiro ano, o custo médio mensal seria de €6,125.

Ofertas DECO

 

Plano Essencial

Na modalidade “Plano Essencial” além do acesso a todos os recursos do portal e a assistência especializada em litígios duas vezes por ano, terá direito à revista Proteste e à revista Dinheiro & Direitos. Em vez do smartphone receberá um smartwatch.

O Plano Essencial custará €2 em cada um dos dois primeiros meses, subindo para €4,25 nos 10 meses seguintes. Do 13º mês em diante passa para €8,5 por mês. O associado pode anular a subscrição a qualquer momento sem ter de se justificar, ficando com os produtos que já tenha recebido. No primeiro ano, o custo médio mensal seria de €3,875.

 

Disclaimer

O Economia e Finanças irá receber uma pequena comissão por cada leitor que venha a aceitar fazer-se sócio da DECO Proteste recorrendo a uma das ligações que aqui deixamos.
Como sabemos que o leitor do Economia e Finanças é especialmente exigente e gosta de ser bem informado recomendamos que leia com atenção os termos e condições de subscrição que nos parecem claras e inequívocas. Essa foi uma das razões pelas quais decidimos retomar a parceria.

Tagged under:

2 Comentários

  • Ana PinaResponder

    Uma vergonha o telemóvel! Gostava mesmo de ver a vossa avaliação…

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Acha que não serve como 1º telemóvel para uma criança como sugerimos? De facto, ainda não testámos.

      Deixe-nos o seu comentário mais detalhado Ana.
      Se não o quiser pôr aqui use https://economiafinancas.com/caixa-sugestoes/

      Em todo o caso, como dizemos no artigo, não é pelos gadgets que recomendamos os nossos leitores a tomarem uma decisão 😉
      Obrigado.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.