Importações com aceleração significativa em novembro de 2014

Olhando para os dados do trimestre terminado em novembro de 2014 relativos ao comércio externo divulgados pelo INE destacam-se as Importações com aceleração significativa tendo a variação homóloga subido de +2,0% no trimestre terminado em outubro para +3,6% com a inclusão dos dados de novembro. Nas exportações a oscilação foi marginalmente positiva, mais 0,1 pontos percentuais, tendo terminado o trimestre a crescer 4,2% em termos homólogos. Assim, o balanço global indica que as exportações continuaram a crescer ligeiramente mais do que as importações entre setembro de novembro de 2014 quando comparado com igual período de 2013. No final, a taxa de cobertura recuperou e fixou-se nos 82,3%.

Já se considerarmos apenas aos dados relativos a novembro, o cenário é mais preocupante em termos de equilíbrio da balança comercial de bens, revelando uma mudança radical na situação face ao que se havia registado em outubro (em termos de comparação com iguais períodos de 2013). Segundo o INE, entre novembro de 2013 e novembro de 2014 as exportações caíram 0,4% (haviam subido 9,1% se a comparação se centrar em outubro) enquanto as importações aumentaram 2,8%  (haviam subido 1,6%).

Continuando a analisar apenas as variações homólogos relativas a novembro de 2014, o INE analisa a evolução do comércio externo intracromunitários e com o resto do mundo. Eis dois excerto do comunicado do INE com essa informação que detalhe as classes de produtos mais relevantes, destacando-se que em novembro o desequilíbrio se agravam em ambos os casos:

“(…) Em novembro de 2014 as exportações Intra-UE registaram uma variação nula face ao mês homólogo de 2013, dado que as diminuições registadas em alguns grupos de produtos (em especial nos Combustíveis minerais, Veículos e outro material de transporte e Outros produtos) foram compensadas pelos aumentos verificados nos restantes grupos (sobretudo nas Máquinas e aparelhos, produtos Químicos e Plásticos e borrachas). As importações Intra-UE aumentaram 3,4%, salientando-se os acréscimos verificados nos produtos Químicos (em especial Catalisadores e Medicamentos), Veículos e outro material de transporte (nomeadamente Automóveis de passageiros) e Máquinas e aparelhos. (…)”

“(…) Em novembro de 2014 as exportações para os Países Terceiros diminuíram 1,4% face a novembro de 2013, refletindo sobretudo o decréscimo dos Combustíveis minerais (em especial nos Gasóleos, Gasolinas e Fuelóleos). As importações Extra-UE aumentaram 0,8%, essencialmente em resultado da evolução das Máquinas e aparelhos e Veículos e outro material de transporte. (…)”

Tagged under:

1 Comentar...

  • Manuel Gomes AlexandreResponder

    Toda essa trágica situação é o reflexo da criminosamente errada politica de austeridade que foi imposta ás economias menos desenvolvidas da (DES) UNIÃO EUROPEIA,a qual, se não for invertida, rapidamente, a referida União, desastrosa, a médio – longo prazo, para as suas vitimas, acabará, inevitavelmente, numa trágica explosão.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.