Taxa de cobertura na balança comercial de bens continua a agravar-se

Pelo terceiro mês consecutivo as Estatísticas do Comércio Internacional – junho 2014 divulgadas pelo INE apresentam uma evolução negativa das exportações de bens sendo que no trimestre terminado em junho as importações regressaram a valores positivos contribuindo assim no seu conjunto para uma degradação no saldo da balança comercial de bens. Como consequência a taxa de cobertura na balança comercial de bens continua a agravar-se. Portugal está a vender menos e a comprar mais. Face a igual período de 2013 está exportar menos 0,4% e a importar mais 1,3% conduzindo a uma diminuição de 1,5 pontos percentuais na taxa de cobertura que é agora de 84,2%.

A nota positiva é que se em vez de olharmos para o trimestre terminado em junho considerarmos apenas a evolução homóloga em junho constatamos que apesar de se manter o agravamento do desequilíbrio ele muda um pouco de natureza. Na realidade, em junho, as exportações aumentaram 8,0% (com destaque para os Combustíveis minerais, Vestuário e Máquinas e aparelhos) e as importações 9,6% (com destaque para Veículos e outro material de transporte e Combustíveis minerais) o que representa uma alteração significativa face a maio (respetivamente -3,7% e +1,5%). Ou seja, o agravamento do desequilíbrio em junho não resulta de exportações em queda e de importações em alta mas do facto de o ritmo de crescimento das exportações ser inferior ao ritmo de crescimento das importações.

Juntando a esta evolução desfavorável ao nível da balança comercial de bens uma evolução menos favorável da balança comercial de serviços, provavelmente teremos um contributo negativo do comércio externo na variação homóloga das contas trimestrais anuais (PIB) que iremos conhecer já na próxima quinta-feira.

Tagged under:

Deixar uma resposta