Qual o número de atendimento das Finanças?

O número de atendimento das Finanças mais relevante é o do Centro de Atendimento Telefónico, o 217 206 707 (desde dezembro de 2016). A função desta linha é a de ajudar a esclarecer sobre dúvidas de natureza tributária e aduaneira bem como ajudar a identificar a melhor forma de contacto ou de exploração dos serviços disponibilizados, incluindo a utilização do Portal das Finanças.  Esta linha está disponível no seguinte horário de atendimento:

Para os serviços tributários (IRS, IRC, IVA, IMT, IUC, Imposto de Selo, Portal das Finanças, IES – Informação Empresarial Simplificada): 

  • Dias úteis, das 08H30 às 19H30

Para os serviços aduaneiros e impostos especiais de consumo (operações aduaneiras, declarações eletrónicas, impostos especiais sobre o consumo, Impostos Sobre Veículos):

  • Dias úteis das 09H00 às 12H30 e das 14H00 às 17H30

Quanto custa usar este número 707?

O valor de uma chamada para a rede fixa, em função do plano tarifário do utente.

O número deixou, em dezembro de 2016 de ser um número de valor acrescentado.

dscac-dgcat[arroba]at.gov.pt

Pode encontrar mais informação sobre este serviço no folheto das Autoridade tributária sobre o CAT.

Se procura o contacto para a Comunicação Telefónica Segura com as Finanças clique aqui.

Pode ainda encontrar outros canais de contacto no e-balcão das finanças.

Pode ainda ler um artigo mais recente onde apresentamos mais detalhes sobre os contactos das finanças: Novo Número de Contacto Das Finanças.

Tagged under:

6 Comentários

  • IngaResponder

    E porque o serviço público tem o número de valor acrescentado???

  • M.D.Responder

    dassss…. 10 Centimos por minuto!? Que roubo!
    Antes usavam a linha 800 XXX XXX que era gratis para o contrinuinte, mas desta forma ao mudarem para o 707 XXX XXX arranjaram uma bela forma de serem menos perturbados. Mais uma manobra ilegal a que estes ultimos Governos ja nos habituaram.
    Neste Estado Ladrão até se cobra por uma simples informação.

  • Zé da RibeiraResponder

    O senhor M.D. publicou (plagiando o meu pensamento) tudo aquilo que eu já concluíra ao falar com meus botões. Está desculpado…!
    Trata-se de uma boa causa.
    Admira-me o modo como são frouxos aqueles que, pagos por nossos impostos, deveriam empenhar-se na defesa dos direitos dos cidadãos.
    Um desses direitos reside no dever de os serviços públicos da área da finanças, pagos pelo público, prestarem, ao cidadão que os paga, os esclarecimentos necessários e solicitados.
    As dúvidas dos contribuintes foram transformadas em fonte de receita.
    Portanto, quanto pior melhor, digo, quanto mais complicado melhor… e mais lucrativo.
    Eis a questão.
    Até que, neste pobre país, alguém acorde e mande dois brados de indignação… que sejam ouvidos do Minho ao Algarve.

  • Paula AlvesResponder

    Pois ligo ligo ligo…estou a pagar a chamada apenas para ouvir o gravador que me orienta para determinado serviço e por fim depois de muita espera…”o serviço que pretende não está disponível” é o que oiço mais nada! Nem orientação para outro serviço nada!!!!!!!!! Sendo que liguei às 15h não deveria o serviço estar activo pergunto eu! Agradeço resposta!
    º

  • leonelResponder

    E tudo uma cambada de inuteis tou a tentar telefonar do estranjeiro a dois dias e nada so gasto diheiro qe nao e pouco so inuteis a traballar em portugal tou farto diso pois ja nao e a primeira bes teho qe ir depreposito a portugal para tratar dos problemas porqe ningem atende o telefone .

  • Rogerio Martins CristovaoResponder

    Pobres, Arrogantes e maus servidores Santa Miseria 45 minutos a espera para uma informacao do IMI e nada de volta.
    Ao ponto que os Nazistas, Papistas e Cuministas leval o nosso Pais.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.