Principais agregados das administrações públicas – 1995 a 2013

O INE acaba de divulgar os Principais agregados das administrações públicas – 1995 a 2013 respeitando o Sistema Europeu de Contas 2010 (SEC 2010). Reproduzimos em baixo o ano mais recente divulgado. Poderá fazer descarregar o ficheiro completo aqui  => Principais agregados das administrações públicas – 1995 a 2013

Sobre esta revisão à informação o INE sublinha o seguinte:

“(…) Comparativamente com o sistema anterior (SEC 95), o SEC 2010 introduziu diversas alterações metodológicas na compilação das contas das Administrações Públicas, com impactos relevantes nos respetivos saldos e principais agregados, nomeadamente: a mudança das regras da delimitação sectorial das Administrações Públicas; a mudança das regras de contabilização das transferências de fundos de pensões; o registo da aquisição de material militar e das despesas de investigação e desenvolvimento (I&D) como investimento. (…)”

Informação adiconal sobre as alterações metodológicas decorrentes do SEC 2010 pode ser consultado aqui.

PRINCIPAIS AGREGADOS DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS – DADOS PROVISÓRIOS Unidade: Milhões de euros
ANO: 2013
Administrações Públicas Administração Central Administração Regional e Local Fundos de Segurança Social
Códigos das operações Designação das operações
S13 S1311 S1313 S1314
P.1 Produção 1=2+3 36.030 26.558 9.040 432
P.1M Produção mercantil e Produção para utilização final própria 2 6.037 4.269 1.738 30
P.13 Outra produção não mercantil 3=4+5 29.992 22.289 7.302 402
P.131 Pagamentos relativos a outra produção não mercantil 4 853 744 108 0
P.132 Outra produção não mercantil, outros 5 29.140 21.545 7.193 402
P.1O Produção mercantil, Produção para utilização final própria e Pagamentos relativos a outra produção não mercantil 6=2+4 6.890 5.014 1.846 30
P.2 Consumo intermédio 7 9.802 6.837 2.856 109
B.1G Valor Acrescentado, Bruto 8=1-7 26.227 19.721 6.184 322
P.51C Consumo de capital fixo 9 5.241 3.134 2.060 46
B.1N Valor Acrescentado, Líquido 10=8-9 20.986 16.586 4.124 276
D.1 Remunerações dos empregados, a pagar 11 21.230 17.184 3.763 284
D.29 Outros impostos sobre a produção, a pagar 12 0 0 0 0
D.39 Outros subsídios à produção, a receber 13 694 597 89 8
B.2N Excedente de Exploração, Líquido 14=10-11-12+13 450 0 450 0
D.2 Impostos sobre a produção e a importação, a receber 15 23.507 19.799 2.546 1.162
D.4 Rendimentos de propriedade, a receber 16 2.215 1.587 488 388
D.3 Subsidios, a pagar 17 987 714 103 170
D.4 Rendimentos de propriedade, a pagar (1) 18=19+20 8.543 8.521 254 16
D.4 das quais, pagamentos ao subsector S1311 – Adm.Central (1) M M 36 0
D.4 das quais, pagamentos ao subsector S1313 – Adm. Loc.Reg. (1) M 0 M 0
D.4 das quais, pagamento ao subsector S1314 – F. da Seg. Soc.(1) M 212 877 M
D.41 Juros, a pagar (1) 19 8.530 8.521 241 16
D.4N Outros rendimentos de propriedade, a pagar (1) 20 13 0 13 0
B.5N Saldo dos rendimentos primários / Rendimento Nacional Líquido 21=14+15+16-17-18 16.643 12.151 3.128 1.364
D.5 Impostos correntes sobre o rendimento, património, etc., a receber 22 19.389 17.865 1.522 1
D.61 Contribuições sociais, a receber 23=24+25+26 20.404 6.478 640 13.286
D.611 Contribuições sociais Efectivas 24 8.712 195 0 8.517
D.612 Contribuições sociais imputadas dos empregadores 25 5.574 4.911 630 33
D.613 Contribuições sociais inputadas 26 6.118 1.371 10 4.737
D.7 Outras transferências correntes, a receber 27 2.551 2.480 3.003 9.069
D.5 Impostos correntes sobre o rendimento, património, etc., a pagar 28 16 4 12 0
D.62 Prestações sociais excepto transferências sociais em espécie, a pagar 29 31.420 10.046 638 20.736
D.632 Transferências sociais em espécie relativas a despesas com produtos fornecidos às famílias através de produtores mercantis 30 3.308 2.810 364 134
D.6M Prestações sociais excepto transferências sociais em espécie, a pagar e transferências sociais em espécie relativas a despesas com produtos fornecidos às famílias através de produtores mercantis 31=29+30 34.728 12.857 1.002 20.870
D.7 Outras transferências correntes, a pagar (1) 32 5.067 13.726 1.322 2.020
D.7 das quais, pagamentos ao subsector S1311 – Adm.Central (1) M M 65 701
D.7 das quais, pagamentos ao subsector S1313 – Adm. Loc.Reg. (1) M 2.336 M 27
D.7 das quais, pagamento ao subsector S1314 – F. da Seg. Soc.(1) M 8.869 0 M
B.6N Rendimento Disponível, Líquido 33=21+ 22+ 23+ 27-28-29-32 22.483 15.198 6.321 964
P.3 Despesa de Consumo Final 34 32.448 24.355 7.558 535
D.8 Ajustamento pela variação da participação líquida das famílias nos fundos de pensões 35 0 0 0 0
B.8G Poupança, Bruta 36=37+9 -4.724 -6.022 824 475
B.8N Poupança, Líquida 37=33-34+36 -9.965 -9.157 -1.237 429
D.9 Transferências de capital, a receber (1) 38=39+40 1.775 1.032 1.719 3
D.91 Impostos de capital, a receber 39 2 2 0 0
D.9N Ajudas ao investimento e outras transferências de capital, a receber (1) 40 1.773 1.030 1.719 3
D.9 Transferências de capital, a pagar (1) 41 1.550 2.205 280 45
D.9 das quais, pagamento ao subsector S1311 – Adm.Central (1) M M 7 0
D.9 das quais, pagamento ao subsector S1313 – Adm. Loc.Reg. (1) M 970 M 0
D.9 das quais, pagamento ao subsector S1314 – F. da Seg. Soc. (1) M 3 0 M
P.5 Formação bruta de capital 42=43+44 3.736 1.880 1.836 20
P.51G Formação Bruta de Capital Fixo 43 3.686 1.833 1.833 20
P.5M Variação de existências e aquisições líquidas de cessões de objectos de valor 44 49 47 3 0
NP. Aquisições líquidas de cessões de activos não financeiros não produzidos 45 75 35 35 4
P.5L Formação bruta de capital e aquisições líquidas de cessões de activos não financeiros não produzidos 46=42+45 3.810 1.915 1.871 25
B.9 Capacidade (+) / Necessidade (-) líquida de financiamento (saldo em Contas nacionais) 47=36+38-41-46 -8.309 -9.110 392 409
OTE Total das despesas das administrações públicas 49=7 + 11 + 12 + 17 + 18 + 28+ 31+ 32+35+41+46 85.735 63.961 11.462 23.539
OTR Total das receitas das administrações públicas 50=6 +13 +15 +16 +22 +23+27+38 77.425 54.851 11.854 23.948
Notas:
(1)Para o sector S.13, as operações D.4, D.7 e D.9 devem ser consolidadas. Como resultado, para estas operações e também para o total dos empregos e total das receitas, a soma dos subsectores não é igual ao valor do total do sector.

Tagged under:

Deixar uma resposta