O que mudou nas empresas não financeiras portuguesas entre 2004 e 2013?

O INE ajuda a responder parcialmente à pergunta do título, “O que mudou nas empresas não financeiras portuguesas entre 2004 e 2023?” ao divulgar a informação mais recente sobre “Empresas em Portugal” baseado no Sistema de Contas Integradas das Empresas (SCIE).
O INE destaca que, entre 2012 e 2013 se registou um crescimento nominal em indicadores como o valor acrescentado bruto (VAB) de 0,5% e do excedente bruto de exploração (4,5%) ainda que esta evolução tenha sido contemporânea com uma queda de 0,7% no número de empresas ativas em Portugal  e uma queda de 2,2% do número de pessoas ao serviço.
“Destacaram-se, pela sua importância, os crescimentos do VAB nos setores da indústria e energia (2,1%), do comércio (1,5%), transportes e armazenagem (1,0%) e outros serviços (1,0%). A agricultura e pescas, embora com um menor peso relativo no total das empresas não financeiras, destacou-se pelo crescimento dos principais indicadores económicos, nomeadamente do VAB (+4,8% face ao ano 2012).”
Mas o fundamental desta publicação do INE centra-se na análise do período entre 2004 e 2013. Vale a pena referir alguns dos sublinhados feitos:

“Os dez anos entre 2004 e 2013 decompõem-se em duas fases distintas. Na primeira metade, entre 2004 e 2008, o volume de negócios e o VAB cresceram em todos os setores de atividade analisados, enquanto na segunda, de 2009 a 2013, a evolução foi no sentido inverso, com o decréscimo dos principais indicadores económicos na quase globalidade dos setores. Ainda assim, entre 2009 e 2013 destacou-se o aumento da produtividade aparente do trabalho nas sociedades de grande dimensão e nas sociedades exportadoras. Em 2013 existiam mais sociedades exportadoras que em 2008, com um maior peso no volume de negócios e no VAB gerado.”

Entre os vários indicadores destacados salientamos que, ao fim destes 10 anos, o VAB gerado estagnou, nem aumentou, nem diminuiu ainda que tenha registado uma evolução diferenciada nas duas metades da década, conforme o INE sublinha. Os Indicadores Económicos das Empresas por setor de atividade 2004 a 2013 estão reproduzidos em baixo e atestam precisamente essa clara distinção temporal, mas revelam também outros detalhes e especificidades por setor de atividade.  Por exemplo, o facto do setor de agricultura e pescas ter  registado um VAB acumulado positivo (+2,0%) e de este ter sido alcançado com crescimento em ambos os subperíodos (o único setor a não registar queda do VAB entre 2008 e 2013).  Destacam-se ainda os setores de Outros Serviços (+3,4%) e de Transportes e armazenagem (+1,9%). Pela negativa o VAB caiu muito expressivamente  na Construção e atividades imobiliárias (-4,5%) mas também entre o Alojamento e restauração (-1,5%) e Comércio (-1,0%) para destacar os mais afetados.
Um último destaque para a taxa de crescimento positiva no período de 2004 a 2013 quanto ao número de pessoas ao serviço nos Outros serviços, Informação e comunicações e Agricultura e Pescas, em contraciclo com a maioria das empresas nã financeiras que registaram um variação negativa de 0,7%.
Indicadores Económicos das empresas por setor de atividade 2004 a 2013
 
Um outros destaque vai para os principais rácios das Sociedades por dimensão e setor de atividade no período compreendido entre 2008 e 2013. Sublinham-se as diferenças entre empresas exportadoras e não exportadoras nos vários indicadores, mas também as diferenças entre setores:

Rácios das Sociedades por dimensão e setor de atividade 2008 - 2013

Rácios das Sociedades por dimensão e setor de atividade 2008 – 2013; Fonte: INE


 
Eis a lista de indicadores apresentados pelo INE nesta publicação:

  • Principais indicadores económicos das empresas (2012-2013)
  • Evolução dos principais indicadores económicos das empresas – Índice (ano base=2004) (2004-2013)
  • Evolução dos principais indicadores económicos das empresas por setor de atividade (2004-2013)
  • Distribuição do VAB das sociedades por setor de atividade (2008-2013)
  • Distribuição da produtividade aparente do trabalho e remuneração média mensal das sociedades (2008-2013)
  • Rendibilidade do ativo e taxa de investimento das sociedades por setor de atividade (2008-2013)
  • Principais rácios das sociedades por dimensão e setor de atividade (2008-2013)
  • Sociedades exportadoras (2008-2013)
  • Concentração setorial das sociedades (indicador discreto) (2013)
  • Atividades mais ou menos concentradas (índice de Herfindahl-Hirschman) (2013)

 
 
 
 

Tagged under:

Deixar uma resposta