Mais austeridade: trabalhadores vão descontar mais sete pontos percentuais para a Segurança Social

O Primeiro-Ministro acaba de anunciar que a taxa social única (TSU) dos trabalhadores aumentará em sete pontos percentuais (passando de 11% para 18%). Por outro lado, os empregadores passarão a pagar menos 5,75 pontos percentuais descontando 18% em vez dos habituais 23,75%.

 Em termos globais, a contribuição para a Segurança Social (Trabalhador + Empregador) aumenta de 34,75% para 36%.

Para os trabalhadores, a redução de salário líquido em 7% corresponde à perda de um dos vencimentos anuais.

Em suma: A TSU passa de 34,75% para 36%, agora com 18% para cada lado (trabalhador+empregador).

 

Tagged under:

5 Comentários

  • Pingback:Mais austeridade: funcionários do Estado continuaram a perder dois salários por via dos descontos | Economia e Finanças

  • Sarin Responder

    Comentário à (má) redacção da notícia:
    Na primeira frase o verbo está no futuro, referindo-se a um normativo que foi recentemente aprovado mas que apenas entrará em vigor daqui a uns meses; referindo-se ao mesmo evento (aprovação e entrada em vigor do normativo) porque é que na segunda frase está no passado?! Erro de gramática, não saber concordar os tempos verbais, ou erro ortográfico, não saber que o futuro de Passar é “passarão” e não “passaram”, é grave e vergonhoso para o redactor e para o revisor!
    Cometário ao (mau) conteúdo da notícia:
    É importante que os encargos das empresas diminuam – mas nunca o deveria ser feito à custa de quem trabalha nessas mesmas empresas. E mesmo “redistribuindo” os encargos…. os vergonhosos sem-vergonha que nos (des)governam lá arranjaram maneira de sacar mais 1.25% para ajudar a equilibrar as pensões e reformas mal atribuídas (por excesso e por defeito) e os subsídios que nalguns casos rendem mais do que o salário… Reformular o sistema tributário e de atribuição de reformas é que era o correcto! Isso e demissão em bloco!

  • Mapari Responder

    Obrigado pela correção Sarin. Alguns dos textos sobre a austeridade foram escrito dando prioridade à rapidez e menos à precisão da redação. Infelizmente, nota-se.
    P.S.:: não temos uma estrutura jornalística clássica. Neste projeto de jornalismo do cidadão, não há recursos para revisão por outrem (que não o leitor).

  • Pingback:Síntese das novas medidas de austeridade para 2013 | Economia e Finanças

  • Emidio Jorge Camacho Responder

    Um dos cavalos de batalha da esquerda, principalmente do BE e PCP, foi o de baixar a taxa de desconto do IRS nos escalões deste imposto. . Para que todos saibam o meu imposto baixou 0,4% a que corresponde um aumento salarial de €7,00 (15,00%-0,4%=14,60%). Só que as contas foram esbarrar com o aumento do da taxa descontada para os Serviços sociais que subiu de 1% para 1,5% correspondente a um aumento de 50%??????.
    Ora bem. No mesmo mês em que beneficiei de da redução de 0,4% na retenção do IRS a minha entidade patronal começou a descontar 0,5% para os nossos serviços sociais. Em resumo : RECEBI O VALOR DE €7,00 e PASSEI A PAGAR €9,00. muito INTELIGENTE senhora Catarina Martins eu é que sou o burro??? Não sou eu não que devo ter as orelhas maiores, não. Tudo acontece assim com outros benefícios que são anunciados por essa esquerdalha toda. Até já tenho medo quando anunciam aumentos nos vencimentos porque vem aí borrasca. Os aumentos propalados pelo PM na sua intervenção na TV têm apenas finalidades eleitorais. Parem de julgar os portugueses burros. Talvez esses sejam vistos por vocês quando se olham ao espelho.

Deixar uma resposta