Kurgman e a desilusão Obama: “Money Talks, Regulation Walks”

Paul Krugman abordou num dos seus últimos artigos o problema dos “incentivos” com que a indústria financeira alicia o poder político nos Estados Unidos através do financiamento colossal que conferem aos dois grandes partidos norte-americanos. De caminho junta à sua argumentação mais um exemplo daquilo que considera estarem a ser as cedências sucessivas e unidereccionais do actual presidente Barack Obama ao outro lado da barricada.

O que nos interessa isto? Por um lado, é sempre interessante avaliar como os conflitos de interesses são poderosos para condicionar as atitudes, particualrmente quando está em causa um programa político sufragado, por outro lado, o que está em causa neste exemplo concreto é a regulação (ou laxismo) do estado sobre um conjunto de produtos financeiros aplicados em moeda estrangeira, ou seja sobre o sistema financeiro, o tal que está interligado em todo o mundo e que nos tem afectado a todos.

Como Krugman diz parece haver muito pouca memória sobre o que levou ao início da última crise. A ler “Money Talks, Regulation Walks“. Excerto:

The Times editorial page is outraged at the proposal to exempt foreign-exchange swaps from regulation — and rightly so. Have we learned nothing from the crisis? (…)”

Tagged under:

Leave a Reply

Your email address will not be published.