E se devolver a casa ao Banco caso não consiga pagar o empréstimo?

[wp_ad_camp_1]

Nos Estados Unidos, no auge da crise do sub-prime, perante a desvalorização abrupta das casas fruto do rebentamento da bolha especulativa  que havia sido alimentada durante anos, muitos cidadãos que tinham créditos a pagar por conta da habitação começaram a entregar as casas aos credores (geralmente bancos).

Primeiro terão sido as famílias sem capacidade de pagarem (por exemplo, por via de terem caído no desemprego) a darem a casa como pagamento de crédito, depois o fenómeno generalizou-se e abrangeu mesmo quem podia pagar. Porquê? Porque descobriram que o valor real das casas tinha caído tanto que era já inferior à dívida que tinham junto do banco.

Imagine que comprou uma casa por 200 mil euros em 2007 pedindo 190 mil de empréstimo. Imagine também que quatro anos volvidos estava a dever 175 mil euros mas que a casa só se consegue vender por 150 mil. O que muitos americanos que estavam nesta situação fizeram foi arrendar casa, desfazendo o negócio que tinham antes (devolvendo a casa e extinguindo o crédito). Ficaram com a imagem manchada durante uns anos, não conseguindo recorrer ao crédito mas… compensava. Os que tinham dinheiro para isso compraram mesmo casa sem recurso ao crédito, é que as casas, por aquela altura, estavam em valor mínimos históricos.

No fundo o que as pessoas fizeram foi partilhar o risco com o banco, afinal o banco que lhes emprestou o dinheiro tinha avalizado o preço exorbitante e especulativo pelo qual tinham comprado a casa.

Só que este processo de devolução da garantia para executar o crédito (ou seja a devolução do imóvel) tinha um efeito de bola de neve: os bancos tinham de colocar os imóveis à venda para gerarem algum dinheiro (eles próprios tinham créditos a pagar e corriam o risco de ficar insolventes!) e com isso empurravam ainda mais o preço das casas para baixo gerando mais situações em que continuar a pagar o crédito era desvantajoso. É por isso que também por cá, hoje, por um lado já quase não se empresta 100% do valor do imóvel como as próprias avaliações feitas pelos peritos contratados pelos bancos tendem a fazê-lo com um desconto sobre o valor actual do mercado – para precaver futuras desvalorizações. Já para não falar dos spreads mais elevados que traduzem a exigência de um maior prémio de risco por parte dos bancos para fazerem frente a mais situações de incumprimento e eliminarem, à partida, do acesso ao crédito, famílias com recursos limitados… Mas o problema dos créditos antigos mantêm-se e, mesmo que por cá sejam poucos os que podendo pagar o não fazem, há cada vez mais portugueses sem condições de honrarem os compromissos.

A este propósito e sublinhando o risco de colapso dos credores, ou seja dos bancos, veja-se o que se está a passar em Espanha lendo esta peça do Negócios: Zapatero: Solvência do sistema financeiro em risco se se entregar casas para liquidar crédito

Tagged under:

7 Comentários

  • pauloaguiaResponder

    Há uma diferença entre a situação cá e nos EUA: lá entrega-se a casa e fica-se sem dívida. Cá, entrega-se a casa e o que ficar a faltar, o cliente continua a dever ao banco – esse efeito de bola de neve não é, por isso, tão fácil de ser atingido…

  • MapariResponder

    Ou seja, não haverá free riders (os tais que até podiam pagar mas não pagam). Mas já há mesmo jurisprudência na matéria? Casos disputados em tribunal e resolvidos em favor dos Bancos?

  • JoãoResponder

    Boa dia,

    Concordo com o Paulo Aguia.
    Infelizmente não basta entregar a casa.
    Em resposta ao Mapari foi em mesmo em Espanha que o caso se sucedeu com o banco BBVA ganhando a causa em tribunal e penhorando o bens do cliente até cobrir o prejuizo que a venda da casa em leilão originou.
    Ai está um bom argumento para aplicar em Portugal e como os bancos “ganham” caso resolvido.
    Li a noticia à um tempo num Jornal mas agora só encontro um artigo semelhante no Portal Financeiro:
    http://www.portal-financeiro.com/artigo/entregar-a-casa-ao-banco-salda-a-divida.html
    Até ja´…

  • AbrunhosaResponder

    Bom dia,

    Gostaria de saber se há alguma informação fiável sobre as consequências para o cliente ao entregar a casa ao banco por declarar insolvência. Ficaria com um registo no banco de Portugal? Ser-lhe-ia negado um crédito no futuro? Como se processa a situação?

    Obrigado,

    JP

    • MapariResponder

      Talvez algum leitor esclarecido possa ajudar, pela nossa parte recomendamos que se dirija ao Banco e que tente alguma forma de acordo, reescalonamento da dívida, outras situações (colocar o imóvel num fundo especial…) e depois é ir ajustando o que fazer de acordo com o discutido e eventualmente acertado. Seja sincero e exponha os seus interesses, capacidades/limitações. Se o diálogo for complicado peça apoio a alguma forma de mediação especializada na gestão de crédito.

  • sidney oliveiraResponder

    boa tarde comprei uma casa há 2 meses do banco bes. gostaria de saber si eu não quizer ficar com a casa, depois de quanto tempo que posso devolve-la. é si depois posso ter meu nome manchado com dividas no banco de portugal. favor enviar respostas para sidneybusi@hotmail.com

  • Pingback:Até onde pode ir o Banco quando um devedor entra em incumprimento | Economia e Finanças

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.