Movimento Esperança Portugal – Uma empresa política

Estar na política, particularmente num partido novo, sem aspirações imediatas a cargos e a grandes poderes é seguramente uma tarefa imune a acusações de egoísmo materialista. Dá-se muito melhor com expressões como “voluntariado”, “altruísmo”, “serviço ao bem comum”, “risco” e também, “empreendedorismo”. Falo-vos agora do MEP – Movimento Esperança Portugal o mais bem votado dos quatro partidos que foram este ano pela 1ª vez a eleições e com o qual me envolvi pessoalmente, particularmente oferecendo tempo, disponibilidade e a inteligência e dedicação possíveis.  Ora apesar dos 25 mil votos o MEP não terá direito, como nunca teve, a dinheiro do Estado. Trata-se de uma iniciativa particular, comunitária, de alto risco e que pelo menos 25 mil pessoas endossaram nas eleições e que muitas outras vêem com simpatia e utilidade na vida política portuguesa.

Mas para concorrer a três eleições com um nível mínimo de dignidade e probabilidade mínima de sucesso foi necessário que alguém fizesse de banca. Um conjunto de fundadores colocou no prego garantias pessoais e recorreu ao tradicional financiamento bancário com moderadas expectativas de poder vir a obter o número mínimo de votos que permitisse amortizar pelo menos em larga parte a dívida contraída. A despesa (200 mil euros para as 3 campanhas) fez-se mas o equilíbrio financeiro terá agora de se fazer de outra forma. E não deixa de ser curioso que com isto o MEP esteja agora a enfrentar uma espécie de “4as eleições”: está a pedir a todos os militantes, simpatizantes e amigos que se quotizem e façam donativos para que se efectue o pagamento da dívida e se permita dessa forma criar uma base livre para a manutenção em plena actividade  o MEP ao longo do ciclo político que se aproxima. Em 4 dias reuniram-se já 12 mil dos 200 mil euros necessários. Tratando-se de um projecto político e emergente julgo que é assinalável a progressão desta missão complicada. Até onde chegará? É hoje claramente mais facil reunir apoios do que no início. O projecto tem mais substância, concretizou-se e talvez por isso não surpreendam as manifestações de apoio recebidas, mas até onde chegará depende dos donativos e dependerá também de si. Afinal é também uma questão de “Economia & Finanças”.

 É esse o desafio que lhe lanço recomendando a visita desta página:As dívidas do MEP: vozes solidárias“.

Para todo/as aquele/as que quiserem juntar-se a nós no pagamento destas dívidas poderão fazê-lo como donativo através de cheque endossado ao MEP ou por transferência bancária para:
MOVIMENTO ESPERANÇA PORTUGAL
NIB 0007 0000 00659783137 23 (BES)
IBAN: PT50 0007 0000 0065 9783 1372 3
SWIFT/BIC: BESCPTPL
Obrigado pela vossa solidariedade presente!

Nota: Se os partidos políticos recebecem todos de acordo com os votos obtidos e não existisse um limiar mínimo a atingir para se ter direito a subvenção estatal o MEP teria a haver 3,33€ por cada voto obtido.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.