Crédito à habitação: taxa fixa ou variável?

O tema é muito cá de casa como podem espreitar nos artigos relacionados que deverão surgir no final deste artigo. Mas hoje passo a palavra aos jornalista do Jornal de Negócios que andaram a fazer umas contas e simulações. Recomenda-se a leitura de “Taxa fixa ou variável? Vai valer a pena indexar o crédito à Euribor?

Tagged under:

4 Comentários

  • Alfredo Responder

    Que idiotice. Incentivar as pessoas a especular com taxas de juro, ainda por cima a tão longo prazo.

    Onde terão aprendido isso?

  • RuiMCB Responder

    🙂

    É útil perceber-se o que significa a opção quanto à taxa no momento da negociação. E essa é uma pedagogia que a comparação de cenários será útil para muitos.

  • DL Responder

    Consoante a conjuntura, umas vezes é mais vantajosa a taxa fixa, outras a variável. Vamos mudar de taxa de cada vez que mudam as condições? Os bancos cobram comissões de cada vez que se altera o tipo de crédito… depois há as despesas com notários, etc. No fim, será que compensa?

  • Jose Carlos Ferreira Responder

    Tal como a compra de acções, na minha opinião dever se -á comprar no inicio da subida e não tanto qundo a tendencia é a descida.Ora se a taxa de juro está a baixar consideravelmente desde outubro,porque não esperar uns bons tempos,poque ao que parece a recessão veio para ficar e a tendencia da taxa é ficar baixa.( já se fala na taxa de refencia em 1%) Ora qundo a economia recuperar e as taxas começarem a subir novamente,então será de arriscar taxa fixa: Até lá aproveitemos!

Deixar uma resposta