A Noite dos PUBLIdevoradores de 2012

A noite dos PUBLIdevoradores é uma iniciativa já com alguns pergaminhos e tem um nome particularmente sugestivo face àquilo que representa de facto:  5 horas a fio a “devorar” os melhores anúncios publicitários do mundo. A noite deste ano decorrerá no próximo dia 26 de maio e promete cerca de 500 filmes oriundos de 60 países. Segundo a … Ler mais

…Quando os loucos guiam os cegos (ainda o Pingo Doce)

[wp_ad_camp_1]Ainda o Pingo Doce, um excerto de Anatomia de um golpe de Pedro Santos Guerreiro no Negócios: ” (…) Disse Frei Fernando Ventura, nessa noite, na SIC Notícias: “Quando vi as imagens do Pingo Doce, fiquei triste e alarmado. Vi isto na Venezuela, com o Chavez, exactamente o mesmo tipo de reacção. Fiquei com esta imagem … Ler mais

Leite e outros: a moderada ilusão dos descontos em cartão

 [wp_ad_camp_1]O que é melhor, 50% de desconto imediato ou 75% de desconto desfasado em cartão? Depende. Vejamos alguns cuidados a ter com os descontos em cartão.

Tomemos o exemplo da campanha mais recente do Continente que confere um desconto de 75% sobre o preço de comprar de 1,5 litros de leite. Um aspeto importante é que o desconto não é imediato, ou seja, o cliente paga o valor integral e se não se deslocar novamente, por duas vezes e em períodos distintos e pré-determinados à loja, o desconto creditado no cartão é anulado e terá pago 100%.

 No desconto em curso, o cliente poderia usar o crédito equivalente a 50% do valor comprado, por exemplo em leite, na segunda quinzena de Janeiro e os restantes 25% de crédito na quinzena seguinte já em Fevereiro. Ou seja, para aproveitar o equivalente a um crédito no valor de 75% do valor que já pagou pelo leite, teria de se deslocar um total de 3 vezes à loja: a da compra inicial, a dos 50% e a dos 25%. Essas deslocações não só acarretam custos (mesmo que se substituídas por compras online) como aumentam a probabilidade de efetuar compras por impulso saíndo da loja com mais do que o estritamente necessário para si e para o aproveitamento dos descontos. Qualquer desvio no controlo destes risco fará descer significativamente o desconto real e poderá acabar por revelar-se maus negócio face a uma oferta de um desconto imediato.

Sintetizemos algumas dicas para maximizar o desconto efetivo quando este é creditado em cartão:

Ler mais

As empresas já não podem tratar os clientes de cima para baixo: “Marketing Ombro a Ombro”

Recebemos o convite para assistir à apresentação do livro “Marketing Ombro a Ombro” da autoria de João Pinto e Castro (clique aqui para ver breve nota biográfica e bibliográfica) e, com autorização do autor, alargamos o convite a todos os leitores do Economia e Finanças. O autor, economista, tem vasto currículo e longa experiência profissional na … Ler mais

Qual é melhor: um desconto directo de 35% ou um desconto em cartão de 50%?

Sabia que um desconto em cartão é muito diferente de um desconto directo na factura? Vejamos quão diferente pode ser.

Se lhe derem um desconto de 50% na compra de um produto mas esse desconto for creditado num cartão, de quanto é efectivamente o desconto que lhe deram?

50%? Não propriamente. Vejamos um exemplo concreto.

Comprou uma televisão de 800€ com 50% de desconto em cartão. Ou seja, entregou 800€, recebeu uma TV e um crédito de 400€.

Imaginemos que com esse crédito regressou à loja e lhe deixaram comprar produtos num valor exacto de 400€ tendo assim usado o crédito que tinha sem gastar mais um único tostão. Ou seja, ao todo gastou 800€ e levou para casa produtos no valor global de 1200€. Sabendo isto de quanto foi o seu desconto efectivo? Pelas nossas contas deverá ter sido de 400€/1200€, ou seja, de 33,33%. A compra poderá ter continuado a valer a pena, ou não, mas 33,33% é um pouco diferente dos 50% aparentes na promoção.

E se em vez de 50% de desconto em cartão lhe dessem 35% de desconto imediato? Nesse caso o preço da TV passava  a ser só de 520€ (em vez de 800€) e, se assim desejasse, terminava a história pois não tinha nada que o compelisse a efectuar mais despesa, logo, o desconto efectivo seria de 35%, neste caso superior aos 33,3% do desconto em cartão.

  Directo Em cartão
Preço  do produto 800 € 800 €
Paguei 400 € 800 €
Valor do desconto 400 € 400 €
Valor dos produtos adicionais 0 € 400 €
Valor total das compras 800 € 1.200 €
Desconto em % 50,0% 33,3%

 

No entanto, se à partida você precisasse mesmo de comprar a TV mais 400€ em produtos (por exemplo, as compras do mês lá para casa) a história muda de figura. Nesse caso, se você precisasse mesmo dos dois produtos vejamos o que acontecia.

Na situação do desconto em cartão já sabemos como ficava: gastava 800€ e levava produtos no valor de 1200€ a que correspondia um desconto de 33,3%.

Na situação do desconto imediato tinha pago 520€ pela TV que custava 800€ e a seguir teria de ir gastar 400€ para trazer o resto das compras, ou seja, gastava 920€ para trazer 1200€ em compras, ou seja, o desconto passava para apenas 23,3%, certo? Talvez não, é que esta situação só é verdadeira se você fosse proibido de comprar a TV mais os outros 400€ de produto logo à primeira com os 35% de desconto! Se o desconto dos 50% em cartão ou dos 35% de desconto imediato se aplicarem a todos os produtos da loja sem limitações de quantidade, a melhor opção é sempre o desconto imediato onde os 1200€ ficam em 780€ e não nos 800€ que teria de pagar na situação do desconto em cartão (a tal situação que lhe exige sempre regressar no outro dia para levar o resto e beneficiar do desconto).

Se por ventura não precisa mesmo dos 1200€ de compras a preço de tabela e precisa apenas da TV e o resto é apenas levado a comprar para beneficiar dos “50%” de desconto em cartão… Bom, então se calhar, na prática o seu desconto em cartão vale tanto quanto a utilidade daquilo que é forçado a levar para materializar o desconto. Na opção do desconto directo paga logo à cabeça menos dinheiro e o resto pode ser investido em algo que seja mesmo útil, talvez algo que apenas precisa de comprar muito tempo depois já com uns juros de uma aplicação financeira em cima a dourar o bolo acrescido, quem sabe.

Em suma, a menos que o desconto directo esteja limitado a um conjunto de produtos restrito e que haja outros de que necessita mesmo que não são abrangidos por esse desconto, provavelmente para uma situação de 50% de desconto em cartão versus 35% de desconto directo, a segunda opção é mais vantajosa.

Mais alguns considerandos:

Ler mais

Desconto directo versus Desconto em cartão

Temos uma nova pesquisa para os nossos leitores. Apresentamos dois cenários hipotéticos e perguntamos: Qual das seguintes situações é preferível? Desconto de 50% em Cartão (paga 100% mas fica com crédito no valor de 50% para usar em compra futura) Desconto Directo de 35% (paga menos 35% na factura) Poderá votar clicando na opção que … Ler mais