Principais Causas de Morte 2014

Quais as principais causas de morte 2014 em Portugal? O INE divulgou as estatísticas oficiais definitivas relativas às causas de morte em Portugal no ano 2014.

Pode encontrar mais informação relativa a anos anteriores (ou posteriores logo que disponíveis) nos artigos que surgem clicando em “Causas de Morte“.

Principais Causas de Morte 2014:

A informação é recolhida pelo INE através dos verbetes de óbito preenchidos no momento da morte e nos quais deve constar a causa de morte oficial, seguindo a lista padronizada a nível mundial e definida pela OECD Health Data. Com base nesta informação o INE publica um das suas mais extensas coleções de dados e de análise na publicação “Causas de Morte”. A informação é particularmente rica pois permite o cruzamento de informação relativa ao sexo, idade, residência e causa de morte.

Principais Causas de Morte 2014
Com base em dados do INE.

Para cada um dos 55 grupos de causas de morte o INE divulga seis quadros contendo os seguintes indicadores:

  • Óbitos por Local de residência (NUTS – 2013), segundo o sexo;
  • Mortalidade proporcional por Local de residência (NUTS – 2013), segundo o grupo etário e sexo;
  • Taxas de mortalidade padronizadas (por 100 000 habitantes), por Local de residência (NUTS – 2013), segundo o grupo etário e sexo;
  • Óbitos e taxas brutas de mortalidade (por 100 000 habitantes), por Local de residência (NUTS – 2013), segundo o grupo etário e sexo;
  • Óbitos e razões padronizadas de mortalidade por Local de residência (NUTS – 2013), segundo o sexo;
  • Anos potenciais de vida perdidos e taxas, por Local de residência (NUTS – 2013), segundo o sexo.

Com base nos dados mais recentes quais as Principais Causas de Morte 2014?

Eis o lista hierarquizada por grupos de causas de morte construído tendo por base a informação do INE:

Óbitos 2014
1 Doenças do aparelho circulatório 32288 30,7%
2 Tumores 26742 25,4%
3 Doenças do aparelho respiratório 12164 11,6%
4 Sintomas, sinais, exames anormais, causas mal definidas 6476 6,2%
5  Doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas 5497 5,2%
6 Causas externas de lesão e envenenamento 4818 4,6%
7 Doenças do aparelho digestivo 4602 4,4%
8 Doenças do sistema nervoso e dos orgãos dos sentidos 3558 3,4%
9 Doenças do aparelho geniturinário 2882 2,7%
10 Perturbações mentais e do comportamento 2639 2,5%
11 Algumas doenças infeciosas e parasitárias 2220 2,1%
12 Lesões autoprovocadas intencionalmente e sequelas 1223 1,2%
13 Doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo 407 0,4%
14 Doenças da pele e do tecido celular subcutânea 144 0,1%
Total 105219

Destaca-se que um pouco menos de um em cada três óbitos tem como causa alguma doença do aparelho circulatório. Entre estas lideram as doenças cerebrovasculares com um total de óbitos próximo ao da soma das duas doenças que se seguem: doença isquémica do coração e enfarte agudo do miocárdio.

A segundo lugar do ranking dos grupos de causas de morte surgem os tumores que são responsáveis por um em cada quatro óbitos. No último gráfico apresentam-se os principais tumores ordenados por relevância ao óbito.

Principais Tumores em Portugal 2014

Disponibilizamos em anexo a base de dados que construimos tendo por fundamento a informação do INE: Principais Causa de Morte Portugal.

Causas de morte: cancros e suicídios em alta (2013)

Cerca de um em cada quatro portugueses morre de cancro (24,3%). Entre as causas de morte, morrer de cancro (ainda) não é a principal causa de morte mas aproxima-se do tomo ocupado pelas doenças do aparelho circulatório (29,5%). Segundo o INE, em 2013, as doenças do aparelho circulatório diminuíram em 4,1% enquanto as mortes por cancro aumentaram 0,6%.

Causas de Morte:

Entre as doenças do aparelho circulatório destacam-se os Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC) que à sua conta mataram um pouco mais de uma em cada 10 pessoas falecidas em 2013.

Entre os cancros (ou tumores malignos para usar a terminologia do INE) destacaram-se os tumores malignos da traqueia, brônquios e pulmão que aumentaram significativamente face a 2012: mais 9,1%.

Os suicídios também registaram um aumento significativo entre 2012 e 2013 (+6,9%) representando cerca de 1% da mortalidade no país e vitimando pessoas mais jovens com potencial para provocar especial sofrimento entre os sobreviventes. Sobre o assunto o INE avança ainda, entre outros que:

“(…) Quase 70% do total destas mortes foram de homens, com uma relação de 200,9 óbitos masculinos por 100 femininos. A idade média ao óbito devido a estas causas foi de 65,0 anos, bastante mais elevada para as mulheres (72,3 anos) do que para os homens (61,4 anos). Por outro lado, trata-se de um conjunto de causas que, quando comparado com as restantes, afeta relativamente mais as idades prematuras (43,4% dos falecidos tinham menos de 65 anos). O número de anos potenciais de vida perdidos foi 46 519 e a taxa de anos potenciais de vida perdidos foi de 518,6 anos por 100 mil habitantes. (…)”

 

Causas de morte 2013
Causas de morte 2013
Fonte: INE

Outro dado curioso resulta da relação de masculinidade em algumas causas de morte, ou seja, há causas de morte que são claramente mais importantes num dos sexos, no caso das que a seguir se representam, matam muito mais os homens do que as mulheres:

Causas de Morte Relação de masculinidade
Causas de Morte Relação de masculinidade
Fonte: INE

Pode encontrar informação mais detalhada na publicação  “Causas de morte 2013” do INE:

“(…)  Está organizada em fichas individuais para 55 grupos de causas de morte baseados na lista utilizada pela «OECD Health Data», com apresentação de uma análise descritiva para cada causa ou grupo de causas de morte, bem como um quadro síntese com dados e indicadores de mortalidade.
Incluem-se ainda quadros de dados com informação mais detalhada por grupo de causas de morte, nomeadamente contagens do número de óbitos por sexo, grupos etários e regiões de residência dos falecidos, bem como indicadores estatísticos derivados.”

Pode encontrar mais informação relativa a anos anteriores (ou posteriores logo que disponíveis) nos artigos que surgem clicando em “Causas Morte em Portugal“.

Principais causas de morte em Portugal

Quais são as principais causas de morte em Portugal? O INE hoje aponta o foco para o Risco de morrer, uma outra forma de designar as causas de morte: de que é que é mais provável morrer-se em Portugal? Os dados analisados são de 2012 e revelam alguns factos interessantes como diferenças entre sexos na hora de expirar o último sopro de vida.

Principais Causas de Morte em Portugal:

Eis o resumo do INE que convida à leitura ou do destaque de 6 páginas (PDF) ou da publicação detalhada sobre o Risco de Morrer (PDF) elaborada em colaboração com a Direção Geral de Saúde junto da qual o INE divulga dados em folha de cálculo.

As duas principais causas de morte em 2012 foram as doenças do aparelho circulatório, com 30,4% dos óbitos registados no país, e os tumores malignos, com 23,9%. As doenças do aparelho circulatório afetaram sobretudo as mulheres (77,9 óbitos masculi¬nos por cada 100 femininos), ao contrário dos tumores malignos, mais frequentes nos homens (148,0 óbitos masculi¬nos por cada 100 femininos).
As doenças do aparelho respiratório e a diabetes mellitus estiveram na origem de 12,9% e 4,5% das mortes em 2012.
Apesar de as mortes devidas a causas externas de lesão e envenenamento constituírem cerca de 4% da mortalidade em 2012, afetaram com maior frequência pessoas mais jovens, representando em média uma perda de 22,9 anos potenciais de vida. Também estas causas afetaram substancialmente mais homens do que mulheres (219,5 óbitos masculinos por cada 100 femininos).

Na publicação de 181 páginas que retoma uma tradição interrompida em 2006, o INE refere que “(…) apresenta uma caraterização da mortalidade por causas de morte em Portugal em 2012, organizada em fichas individuais para 55 grupos de causas de morte referenciados à lista «OECD Health Data 2012», com apresentação de uma análise descritiva para cada causa ou grupo de causas de morte, bem como um quadro síntese com dados e indicadores de mortalidade.
Incluem-se ainda quadros de dados com informação mais detalhada por grupo de causas de morte, nomeadamente contagens do número de óbitos por sexo, grupos etários e regiões de residência dos falecidos, bem como indicadores estatísticos derivados.

Pode encontrar mais informação relativa a anos anteriores (ou posteriores logo que disponíveis) nos artigos que surgem clicando em “Causas de Morte“.