CGD:  levantar dinheiro com a caderneta passou a custar €1

Desde maio de 2018 levantar dinheiro com a caderneta passou a custar €1 se o levantamento for feito ao balcão. Esta comissão será cobrada em cada levantamento feito por clientes da CGD que se identifiquem com a caderneta. Ou seja, o facto de apresentar a caderneta deixa de isentar o pagamento da comissão garantindo assim que será muito difícil  levantar dinheiro ao balcão sem pagar uma comissão.

Tipicamente a caderneta continua a ser utilizada por clientes mais idosos que para evitarem esta comissão terão de aderir a alguma conta específica, cujas comissões foram alteradas recentemente e que permitem um número limitado de levantamentos por mês sem cobrança de comissões adicionais.

Esta alteração insere-se em mais uma revisão ao tarifário de comissões do banco público que entrará em vigor entre maio e junho de 2018.

Para evitar esta comissão os clientes poderão continuar a levantar dinheiro gratuitamente nas caixas multibanco e CaixAutomática sendo que estes levantamentos estão limitados a algumas centenas de euros em cada dia.

Esta alteração insere-se num novo pacote que veio impor novas comissões de manutenção de conta a jovens com menos de 26 e às empresas com operações realizadas com partes estrangeiras com conta no banco do Estado, entre outros.

Pode consultar aqui o preçário da Caixa Geral de Depósitos. onde encontrará os valores da comissões e taxas aplicáveis aos vários serviços disponíveis na CGD.

Sobre as cadernetas da CGD não deixe de ler o artigo: “Cadernetas da Caixa Geral de Depósitos limitadas a partir de 2018“.

Cadernetas da Caixa Geral de Depósitos limitadas a partir de 2018

Segundo informação da instituição financeira, teremos as cadernetas da Caixa Geral de Depósitos limitadas a partir de 2018 a apenas algumas das suas operações tradicionais. Uma das suas funcionalidades mais importantes – servir de meio de pagamento como se de um cartão de débito se tratásse – deixará de estar disponível a partir de 1 de janeiro de 2018.

 

Cartão de débito será a alternativa

A caderneta continuará a poder ser usada para validar um depósito ou efetuar um levantamento mas apenas quando apresentada ao balcão. A utilização da caderneta para operações no multibanco ficará limitada não permitindo, por exemplo, efetuar pagamentos de serviços.

Estas limitações abrangerão também todas as restantes cadernetas existente em Portugal (como as do Crédito Agrícola). Segundo a informação prestada, só os cartões de débito com chip poderão ser usados como meios de pagamento na União Europeia, daí as cadernetas estarem a ser excluídas.

A existência de um chip num título de pagamento confere maior segurança às operações com ele realizadas e é por isso que este passará a ser obrigatório a partir de 2018.

Quem só tiver a caderneta para levantar dinheiro no multibanco ou efetuar pagamentos com ela deverá assim, até ao final de 2017, pedir um cartão de débito para que, a 1 de janeiro de 2018 possa continuar a usufruir desses serviços nas caixas de multibanco.

 

Novo tarifário CGD em breve

Ainda sobre a CGD há notícias de que o tarifário será novamente revisto com alterações muito significativas na calha para serem implementadas nos próximos meses – a partir de setembro de 2017. O efeito primordial dessas alterações implicará o aumento dos custos para o cliente com a manutenção da conta, diminuindo as situações em que a domiciliação do vencimento será o suficiente para evitar a cobrança de comissões.

Há ainda notícia de integração de produtos com a empresa de retalho Continente.

Logo que tenhamos informação mais detalhada sobre o tema voltaremos a ele.