PIB português aumentou entre o 3º e 4º trimestre de 2020

O PIB continuou a cair face a 2019 no 4º trimestre de 2020 e terá fechado o ano com uma contração de 7,6% no conjunto do ano. Por outro lado, o PIB português aumentou entre o 3º e 4º trimestre de 2020.

 

Porque caiu o PIB em 2020?

Segundo o INE este registo, após um crescimento de 2,2% em 2019, foi

a mais intensa da atual série de Contas Nacionais, refletindo os efeitos marcadamente adversos da pandemia COVID-19 na atividade económica. A procura interna apresentou um expressivo contributo negativo para a variação anual do PIB, após ter sido positivo em 2019, devido, sobretudo, à contração do consumo privado. O contributo da procura externa líquida foi mais negativo em 2020, verificando-se reduções intensas das exportações e importações de bens e de serviços, com destaque particular para a diminuição sem precedente das exportações de turismo.

Numa lógica de comparação de expectativas, o PIB caiu menos do que o antecipado pelo governo aquando da preparação do Orçamento do Estado para 2021. Por outro lado, confirmou-se que estamos a cair acima da média comunitária com a importante ressalva dos dados globais para a União ainda resultarem de dados incompletos (falta informação para vários países, apesar de já contar com a maioria das principais economias).

 

PIB continuou a cair face a 2019 no 4º trimestre de 2020

No gráfico seguinte, baseado na informação compilada pelo Eurostat, tendo por referência os dados dos INE nacionais que já divulgam informação 30 dias após o final do trimestre em análise, é possível posicionar a economia portuguesa de acordo com a evolução homóloga do PIB no último trimestre de 2020.

Espanha, Áustria e Itália surgem no pódio pouco invejável das economias que registaram maior queda nesse período, seguidas de Portugal, República Checa e França.

Segundo o INE, e voltando a Portugal, na ainda muito sumária análise relativa ao 4º trimestre, destaca-se o seguinte:

O contributo da procura interna para a variação homóloga do PIB foi menos negativo que o observado no 3º trimestre, refletindo, em larga medida, a diminuição menos intensa do investimento, apesar da redução mais pronunciada do consumo privado.

A procura externa líquida apresentou um contributo mais negativo no 4º trimestre, verificando-se uma contração mais intensa das Exportações de Bens e Serviços que a observada nas Importações de Bens e Serviços.

 

PIB português aumentou entre o 3º e 4º trimestre de 2020

Já quando a comparação se faz entre o 3º e o 4º trimestre, a evolução foi positiva (+0,4%) e muito superiro à variação para a União Europeia (-0,5%) e para a Zona Euro (-0,7%). A este propósito o INE destaca:

Comparativamente com o 3º trimestre de 2020, o PIB aumentou 0,4% em volume, após as fortes variações de sinal oposto nos trimestres anteriores (-13,9% e +13,3% no segundo e terceiro trimestres, respetivamente). Os contributos da procura interna e da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB foram ambos positivos.

 

Eis os dados globais disponíveis a 2 de fevereiro de 2021 para os vários países da União Europeia.

Variação em cadeia (compara com trimestre anterior) Variação homóloga (compara com mesmo trimestre do ano anterior)
2020Q1 2020Q2 2020Q3 2020Q4 2020Q1 2020Q2 2020Q3 2020Q4
Euro area -3,7 -11,7 12,4 0,7 -3,2 -14,7 -4,3 -5,1
EU -3,3 -11,4 11,5 0,5 -2,6 -13,9 -4,2 -4,8
Spain -5,3 -17,9 16,4 0,4 -4,2 -21,6 -9 -9,1
Austria -2,8 -11,6 12 -4,3 -3,3 -14,2 -4,2 -7,8
Italy -5,5 -13 16 -2 -5,6 -18,1 -5,1 -6,6
Portugal -4 -13,9 13,3 0,4 -2,4 -16,4 -5,7 -5,9
Czechia -3,3 -8,5 6,9 0,3 -1,9 -10,8 -5 -5
France -5,9 -13,7 18,5 -1,3 -5,7 -18,8 -3,9 -5
Belgium -3,4 -11,8 11,6 0,2 -2 -13,9 -4,3 -4,8
Germany -2 -9,7 8,5 0,1 -2,2 -11,3 -4 -3,9
Sweden 0,3 -8 4,9 0,5 0,7 -7,4 -2,7 -2,6
Latvia -2,3 -7,1 7,1 1,1 -1 -8,6 -2,6 -1,7
Lithuania 0 -5,9 3,8 1,2 2,2 -4,6 -1,6 -1,3

 

Tagged under:

Deixar uma resposta