Défice comercial de bens cai para menos de metade

Défice comercial de bens cai para menos de metade? Depois de em maio as exportações e as importações de bens terem caído sensívelmente o mesmo – um pouco menos de 40% – os dados de junho de 2020 divulgados pelo INE revelam uma desaceleração da queda que foi contudo muito mais expressiva nas exportações.

De facto, enquanto as expostações evoluiram de uma queda de 38,7% em maio para uma queda de 10,1% em junho, as importações, que tinham caído 39,8% em maio, registaram uma contração de 23,1% em junho.

 

Fonte: INE

Défice comercial de bens cai para menos de metade

O efeito combinado, apesar do colapso implícito no comércio internacional, foi o de uma redução do desequilíbrio da balança comercial de bens (não inclui serviços como o turismo).

Na realidade, o défice da balança comercial de bens em junho de 2020 foi menor em €1.049 milhões do que em junho de 2019.

O défice em junho de 2020 foi, menos de metade do apurado um ano antes, tendo-se fixado nos €828 milhões.

Mas há uma nota importante do INE que ajuda a explicar esta diferença de comportamento homólogo:

“As taxas de variação homólogas em junho foram ainda afetadas por um efeito de base, tendo em conta o volume muito elevado de importações no mês homólogo do ano anterior, quando se registaram importações significativas de Material de transporte, e o volume muito reduzido de exportações, principalmente de Combustíveis e lubrificantes.”

Eis mais alguns detalhes destacados pelo INE:

” A maioria das categorias de produtos apresentou decréscimos, destacando-se nas exportações os Fornecimentos industriais (-13,0%) e nas importações o Material de transporte e os Combustíveis e lubrificantes (-49,4% e -65,5%, respetivamente).

Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações e as importações diminuíram 7,6% e 17,2%, respetivamente (-34,8% e -34,7%, pela mesma ordem, em maio de 2020).

O défice da balança comercial de bens diminuiu 1 049 milhões de euros face ao mês homólogo de 2019, atingindo 828 milhões de euros em junho de 2020. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 665 milhões de euros, correspondente a uma diminuição do défice em 664 milhões de euros em relação a junho de 2019. (…)

No 1º semestre de 2020, verificaram-se decréscimos de 17,1% nas exportações e 19,7% nas importações, o que representa uma inversão da tendência de crescimento registada em ambos os fluxos no 2º semestre de 2019 (+4,0% e +4,3%, pela mesma ordem). Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as diminuições foram de 16,5% e 18,2%, respetivamente (+4,2% e +5,3%, no 2º semestre de 2019).”

 

Fonte: INE

Mais informação no sítio do INE.

Tagged under:

Deixar uma resposta