Veículos comerciais ligeiros reforçam liderança nas vendas – abril 2017

Sendo certo que a venda de automóveis de passageiros continua, em número, a representar o grosso da coluna nas vendas de veículos automóveis em Portugal, em termos de crescimento das vendas, face a igual período do ano anterior, os veículos comerciais ligeiros reforçam liderança com um aumento de 20,4% em abril e de 10,6% no acumulado do ano.

Com a entrada no segundo trimestre de 2017, os veículos ligeiros de passageiros também registaram uma forte aceleração da variação homólogo referente ao mês de abril, tendo o crescimento das vendas passado para 17,8%, muito acima da média do acumulado do ano: 5,8%.

Como por cada 100 veículos automóveis (ligeiro e pesado) vendidos em abril, 84 eram ligeiros de passageiros, não surpreende que as taxas de crescimento destes últimos estejam muito próximas das médias globais. A venda de veículos aumentou 17,9% em abril e acumula um crescimento de 6,2% em 2017.

Uma nota final para os veículos pesados. Em abril as vendas de pesados de mercadoria aumentou 6,0% contudo no conjunto do ano estão a um nível muito parecido com o registado nos primeiros quatro meses de 2016 (-0.6%). Entre o pesado de passageiros há uma clara quebra das vendas, tendo atingido os 36,6% em abril para uma queda acumulada de 10,9%. As vendas de veículos pesados, em abril de 2017, representou 1,8% do total de veículos vendidos. Naturalmente, o peso poderá ser superior se em vez de número de unidades vendidas se considerado o valor monetário das vendas.

Em termos de leitura económica refira-se que o crescimento das vendas tem sido em 2017 mais modesto do que em 2016 havendo indicações mistas quanto à aquisição de viaturas como bens de investimento: por um lado há um forte sinal de maior dinamismo nas compras de veículos comerciais ligeiros, por outro há uma quebra nas vendas de veículos pesados, em termos unitários. Em termos de despesas das famílias em automóveis, para já, estarão a crescer de forma mais moderado do que em 2017. Nos próximos meses saberemos se a aceleração registada em abril levará os valores acumulados do ano para um registo mais próximo de 2016, ou não.

Pode encontrar a informação de base no sítio da ACAP.

Pode acompanhar as análises históricas e futuras verificando aqui: 

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.

NOS