Distribuição de receitas pelos clubes na Liga dos Campeões

A distribuição de receitas pelos clubes na Liga dos Campeões tem evoluído ao longo das épocas, quase sempre no sentido de se multiplicarem as verbas a distribuir e de se aumentarem os prémios atribuídos em cada um dos momentos definidos como justificativos de encaixe. As mudanças não se ficam contudo pelas mudanças dos prémios mas também pelos critérios de acesso à própria liga dos campeões que têm evoluído, grosso modo, de forma a concentrar cada vez mais receitas num número cada vez mais exíguo de países e seus respetivos clubes.

 

Distribuição de receitas pelos clubes na Liga dos Campeões – Época 2017/2018

Segundo dados oficiais da UEFA, em 2017/2018 serão distribuídos € 1.718,7 milhões pelos clubes participantes nas várias competições europeias, com especial destaque para a liga dos campeões que ficará com uma fatia de cerca de  € 1.318,9 milhões. A Liga Europa receberá para distribuição pelos clubes, € 399,8 milhões, desde as fases de pré-qualificação até à final. Em termos de receitas provenientes da Liga dos campeões, da Liga Europa e da Super Taça Europeia, a expectativa da UEFA é a de que as receitas atinjam os € 2,35 mil milhões.

O excedente entre receitas e distribuição pelos clubes será canalizado para suportar os custos organizativos (€ 282 milhões) e o mecanismo de solidariedade (€ 199,7 milhões) que ameniza ligeiramente, por via pecuniária, os clubes com saídas precoces da competição.

 

Distribuição de receitas pelos clubes na Liga dos Campeões – Época 2017/2018
1ª ronda (só para clubes eliminados)€ 220 000
2ª ronda (só para clubes eliminados)€ 320 000
3ª ronda (só para clubes eliminados)€ 420 000
4ª ronda – Play off (só para clubes eliminados)Recebem €260 000 mais o valor da 1ª e 2ª ronda, ou seja, € 800 000
Compensação solidariedade para clubes campeões eliminados antes da fase de grupos (não acumula com os €260 000 referidos na 4ª ronda se forem eliminados na 4ª ronda)€ 260 000
Entrada na Fase de Grupos
Vitória€ 1 500 000
Empate€ 500 000
Derrota€ 0
8os de Final€ 6 000 000
4os de Final€ 6 500 000
Meias Finais€ 7 500 000
Finalista Vencido€ 11 000 000
Vencedor€ 15 500 000
Finalista Vencido Super Taça€ 3 000 000
Vencedor Super Taça€ 4 000 000
Market Pool€ 507 000 000

 

Cada um dos 32 países participantes na Edição de 2017/2018 da Champions League receberá um mínimo de participação de € 12,7 milhões.

Cada ponto valerá € 500.000 na fase de grupos (ou seja, € 1,5 milhões por vitória e € 500.000 por empate);

As equipas que participem nos oitavos de final receberão um adicional de € 6 milhões;

As equipas participantes nos quartos de final receberão um adicional de € 6,5 milhões;

As equipas participantes nas meia-finais receberão um adicional de € 7,5 milhões;

O finalista vencido receberá um adicional de € 11 milhões;

O vencedor receberá um adicional de € 15,5 milhões.

Na melhor das hipótese, com uma folha de resultados perfeita, só com vitória na fase de grupos e vencendo a final, um clube receberá € 57,2 milhões, sem considerar ainda a porção associada ao “market pool” cuja definição dependerá do comportamento de outras equipas do mesmo país, entre outros.

O “market pool” associado às audiências televisivas em cada país e às respetivas receitas totaliza €507 milhões. Quanto menos clubes do mesmo país avançarem na competição, maior será a proporção de “market pool” atribuída aos representantes desse país “sobreviventes” em prova.

 

Mecanismo de solidariedade:

Segundo a UEFA, na época de 2017/2018, cada campeão nacional que seja eliminado antes da fase de grupos receberá uma compensação de € 260.000 que acresce aos valores referentes à participação nas fases de qualificação que são atribuídos também apenas aos clubes que não atinjam a fase de grupos.

Os valores referentes à participação nas fases de qualificação – pelos clubes que não atinjam a fase de grupos são:

  • € 220.000 da primeira ronda
  • € 320.000 da segunda ronda;
  • € 420.000 da terceira ronda.

Um clube que não seja campeão e seja eliminado antes da fase de grupos receberá a compensação pelas primeira e segunda ronda acrescido de € 260.000.

Note-se ainda que o vencedor da Liga dos Campeões se vier a vencer a Super Taça Europeia, receberá ainda € 4 milhões. Se for vencido na super taça, receberá € 3 milhões.

 

ADENDA: Este artigo foi corrigido a 15 de setembro de 2017.

Um comentário sobre “Distribuição de receitas pelos clubes na Liga dos Campeões

  1. No final das competições, ganham sempre os clubes mais ricos. Quanto mais rico mais hipóteses tem na vitória. Quanto aos outros embora recebam boa compensação por entrarem nos 32, mesmo que sejam eliminados. Acho bem que assim seja. Contudo, torna-se cada vez mais difícil atingirem o auge, quando se paga por um jogador 220 milhões, que daria para pagar duas ou três equipes normais. Essas equipes normais nunca chegarão ao topo porque não são ricas. Os clubes ricos vangloriam-se pela vitória, mas se fizerem uma auto-crítica, verão que ganharam sem honra e sem glória, porque quem ganhou foi o dinheiro que o clube tem. O mesmo acontece com os regionais. São quase sempre um grupo restrito de 2 ou 3 equipes que discutem a vitória nas competições.

Deixar uma resposta