Taxas Máximas de Usura – 4º Trimestre 2016

Quais as Taxas máximas de usura – 4º trimestre 2016? Na tabela em baixo, reproduzida conforme encontrada no sítio do Banco de Portugal divulgam-se as taxas para os vários tipos de crédito que estarão em vigor nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2016.

Uma comparação com as taxas em vigor no terceiro trimestre de 2016 revela que há atualizações ascendentes e descendentes conforme o tipo de crédito.

Por exemplo, o teto máximo para “Cartões de Crédito, Linhas de Crédito, Contas Correntes Bancárias e Facilidades de Descoberto” desceu de 17,6% para 17,3% enquanto o teto para crédito pessoal com “Finalidade Educação, Saúde, Energias Renováveis e Locação Financeira de Equipamentos” subiu ligeiramente, uma décima. O crédito para aquisição de automóvel novo ou usado, na generalidade das modalidades, também passou a ter fasquias máximas para os novos contratos mais baixas.

Em termos globais predominam as atualizações em baixa, acompanhando aquele que tem sido a tendência das taxas de juro de referência no mercado.

 

Taxas máximas de usura – 4º trimestre 2016

4.º trimestre de 2016TAEG máxima
Crédito PessoalFinalidade Educação, Saúde, Energias Renováveis e Locação Financeira de Equipamentos5,6%
Outros Créditos Pessoais (sem finalidade específica, lar, consolidado e outras finalidades)14,2%
Crédito AutomóvelLocação Financeira ou ALD: novos5,5%
Locação Financeira ou ALD: usados6,7%
Com reserva de propriedade e outros: novos10,3%
Com reserva de propriedade e outros: usados12,8%
Cartões de Crédito, Linhas de Crédito, Contas Correntes Bancárias e Facilidades de Descoberto17,3%
4.º trimestre de 2016TAN máxima
Ultrapassagens de crédito17,3%

Fonte: Banco de Portugal.

 

Consulte também os dados mais recentes relativos às melhores taxas de juro de depósitos a prazo.

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.