Proposta de Intervenção na 2ª Circular

A Câmara Municipal de Lisboa colocou a discussão uma proposta de intervenção da 2ª circular que tem gerado desde já algum debate e algumas opiniões fundadas em factos errados, quase anedóticos face ao real conteúdo da proposta. Por exemplo, em nenhum ponto a CML propõe a redução do número de faixas de circulação para estas serem substituídas por passeios e ciclovias ou parques infantis como já chegou a ser defendido por alguns críticos. Qual é então a verdadeira proposta de intervenção na 2ª circular?

Nada como investir alguns minutos e ir diretamente à fonte e, claro, se for do interesse dos leitores, participar no debate público em curso com vista a melhorar a proposta.

 

Proposta de intervenção na 2ª circular:

Proposta de intervenção na 2ª circular

Excerto da proposta de intervenção na 2ª circular

Pode encontrar informação detalhada no sítio da CML “Lisboa em Debate” onde foram disponibilizados vários documentos relativos à proposta de intervenção da 2ª circular, em Lisboa.

Destacamos os seguintes excertos:

Ao nível da Infraestrutura rodoviária:

1 – Repavimentação em toda a extensão da 2ª circular com a reabilitação da fundação nos locais mais degradados e reposição do pavimento com soluções altamente resistentes e muito redutoras das emissões de ruído equivalentes a reduções do tráfego para cerca de metade.

2 – Reabilitação do sistema de drenagem quer pela regularização da faixa de rodagem quer pela substituição dos órgãos de drenagem.

3 – Substituição do sistema de iluminação pública para uma solução mais eficiente do ponto de vista da iluminância e do consumo energético que permite obter economias de custo até 60% em relação à situação atual.

4 – Renovação do sistema de sinalização vertical e horizontal para a tornar mais visível e compreensível.

5 – Instalação de um sistema de controlo de velocidade média nos troços mais críticos em termos de segurança.

Ao nível das soluções de traçado e perfil

6 – Reformulação de alguns dos acessos à 2ª Circular. Tendo em conta que uma das zonas mais problemáticas em termos de sinistralidade e de fluidez da circulação é o trecho entre o Eixo Norte/Sul e o nó de Calvanas a proposta apresenta uma solução que elimina dois entrecruzamentos na zona do Campo Grande através da eliminação da ligação da azinhaga das Galhardas à 2ª Circular logo que esteja estabelecida a ligação da Av. Lusíada ao Eixo N/S (no sentido Sete Rios/Telheiras) e com a ligação direta da 2ºª ircular à Av. Padre Cruz (no sentido aeroporto/Benfica).

7 – Reformulação dos nós de ligação ao IC19 e à A1. A configuração dos nós da 2ª Circular com IC19 e com a A1 para além de não facilitarem o encaminhamento do tráfego para a CRIL, são também geradores de significativos atrasos para os movimentos de saída de Lisboa. Pretende-se que de forma faseada e em articulação com as Infraestruturas de Portugal, reformular aqueles nós por forma a tornalo mais adaptados aos movimentos que nele circulam e facilitarem o encaminhamento do tráfego de atravessamento para a CRIL.

8 – Implantação de um separador central com 3,5 m de largura com árvores e arbustos ao longo de toda a 2ª circular com exceção das zonas onde existem viadutos.

9 – Redução da largura das vias para 3,25m conduzindo a uma redução da velocidade o que aumenta a segurança e o débito de circulação.

10. Marcação da via de rodagem mais direita como via de serviço especialmente dedicada para os movimentos de entrada e saída, através da aplicação de um betuminoso de coloração diferenciada.

11 – Plantação maciça de arvoredo nas áreas laterais ao longo de toda a extensão da 2ª Circular por forma a reduzir o impacto visual do corredor rodoviário em relação às áreas residenciais adjacentes e contribuir para a captura das emissões de CO2 e partículas em suspensão.

12 – Montar barreiras acústicas laterais junto aos edifícios de habitação onde não existam.

13 – Estabelecimento de um planeamento e faseamento de obra que evitam a eliminação de vias de circulação durante o dia.

14 – Utilização de processos construtivos de aumentam os rendimentos do trabalho a realizar e diminuem o tempo de execução da obra bem como o seu custo total. As obras de Requalificação da 2ª Circular terão uma duração de 11 meses e um custo global estimado de 9,75 milhões de euros.”

Eis os atalhos fundamentais que aqui reproduzimos sobre a proposta de intervenção na 2ª circular:

Tagged under:

Deixar uma resposta