Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia

Exportações disparam e PIB cresce muito acima do previsto

O PIB no terceiro trimestre de 2016 cresceu 1,6% face a igual período do ano anterior, acelerando significativamente o ritmo de crescimento que havia sido de 0,9% entre o segundo trimestre de 2015 e o segundo trimestre de 2016.

Para justificar este crescimento o INE sublinha o crescimento das exportações de bens e serviços claramente acima do crescimento das importações sendo que a procura interna também deu o seu contributo positivo acelerando mais entre o terceiro trimestre de 2015 e de 2016.

Quando comparando trimestres consecutivos, os dados oficiais divulgados pelo INE são ainda mais expressivos com o PIB a acelerar de um ritmo de crescimento de 0,3% entre o primeiro e o segundo trimestre para 0,8% entre o segundo e o terceiro.

 

PIB cresce muito acima do previsto

Note-se que em 31 trimestres, desde 2009, só em três se registaram crescimentos entre trimestres consecutivos acima dos 0,8% agora registados.

PIB cresce muito acima do previsto - Cadeias

 

Em termos homólogos é preciso recuar ao primeiro trimestre de 2015 para encontrar uma variação ligeiramente superior.

pib-cresce-muito-acima-do-previsto

 

Projeções de economista falham rotundamente dados oficiais

Para se ter uma noção da relevância destes dados do INE retemos duas comparações, a perspetiva histórica e o confronto com as projeções consensuais feitas pelos departamentos de economia da Universidade Católica, do BPI, do Montepio e do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa.

O crescimento apurado com dados reais da economia nacional superou as expectativas de todos os economistas tendo ficado extremamente distante da projeção avançada pelo Núcleo de Estudos de Conjuntura da Economia Portuguesa da Universidade Católica que antecipava mesmo uma desaceleração da atividade económica face ao trimestre anterior.

Projeções de economista falham rotundamente dados oficiais

Projeções de economista falham rotundamente dados oficiais. Análise comparativa.

 

Das quatro instituições que se pronunciaram e das quais acompanhámos as declarações pública o Instituto Superior de Economia e Gestão foi a que se aproximou mais dos valores oficiais dado que antecipou uma clara aceleração do PIB no terceiro trimestre, movimento que ocorreu , de facto, mas a uma escala mais intensa do que o projetado.

Sendo certo que é difícil estimar com rigor o resultado global dos múltiplos modelos econométricos e que a própria estimativa do INE é ainda um esforço preliminar a rever com mais informação, a verdade é que a esmagadora maioria dos indicadores parcelares e setoriais que forma sendo disponibilizados ao longo dos últimos meses faziam antecipar uma clara aceleração da atividade económica.

 

Qual será o PIB no final do ano?

Com estes dados o crescimento anual do PIB atingiu os 1,2%, em cima da projeção mais recente do governo, sendo que será ainda possível que venha a subir para 1,3% ou mesmo 1,4% dependendo do desempenho no quarto trimestre.

Em termos de simulação podemos antecipar que um crescimento em cadeia de 0,2% no quatro trimestre será suficiente para que se mantenha como média anual um crescimento de 1,2%. Qualquer valor acima dos 0,2% levara o PIB anual para 1,3% fazendo deste valor aquele que consideramos mais provável neste momento.

Um crescimento semelhante ao do terceiro trimestre (ou até ligeiramente inferior) poderá colocar o PIB de final de ano nos 1,4%.

 

Mais informação:

Recomendamos o texto: Portugal foi quem mais cresceu na UE no terceiro trimestre de 2016.

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.