As PME são muito bonitas mas… (Comércio Internacional por Caracteristicas das Empresas)

As PME são muito bonitas mas o que é um facto é que, em 2014, 20% do comércio internacional português de bens (importações e exportações) foi sustentado pelas 10 maiores empresas a operar em Portugal e as 500 maiores empresas exportadoras de bens para os mercados externos concentraram 66,1% do valor exportado. As centenas de milhar de PME são importantes em muitos aspetos (em especial como empregadoras), têm uma quota relevante nas exportações mas ainda assim uma quota claramente minoritária face às grandes empresas a operar em Portugal. Esta concentração nas grandes empresas (quer nas exportações, quer nas importações) desceu ligeiramente em 2014 face à médias dos últimos quatro anos. Estas afirmações encontram suporte no relatórios sobre Comércio Internacional por Caracteristicas das Empresas divulgado pelo INE.

O INE sublinha ainda que “Esta concentração foi ainda mais acentuada no Comércio Extra-UE: as 5 maiores empresas foram responsáveis por 23,0% das exportações, enquanto nas importações essa proporção foi 51,6%.

Exportações - concentração do valor por número de empresas 2010 2014

Fonte: INE


Uma notícia animadora revelada pelo INE prende-se com a clara diversificação de mercados de destino de exportações e de origem de importações que terá ocorrido nos últimos anos, com particular enfoque nas relações com países alheios à União Europeia. Ainda assim o INE sublinha que a concentração se mantém elevada:

“As empresas com maior diversificação de mercados concentraram o maior valor transacionado: 42,4% nas exportações e 28,7% nas importações, em 2014. No entanto, a maioria das empresas transacionou bens com apenas um país: 69,3% das empresas exportadoras e 86,6% das empresas importadoras.”

Esta nota informativa da qual o INE agora inicia difusão será particularmente importante para acrescentar dados qualitativos à habitual informação quantitativa sobre o comércio internacional, permitindo uma perceção mais clara das transformações (ou falta delas) que estarão (ou não) a ocorrer em termos estruturais na nossa economia.
Finalmente, vale a pena revisitar a Definição de Grande, Média, Pequena e Microempresa para melhor compreender quem é quem na informação estatística aqui apresentada.

Tagged under:

1 Comentário

  • ricardo cordeiro Responder

    pois…são também as tais GRANDES Empresas que mais “EXPORTAM” divisas para as Offshor, têm as SGPS em Países de “OTIMIZAÇAÕ FISCAL” e que tem ligações INTERNACIONAIS ao encontro anual dos DONOS DO MUNDO|
    Devemos, pobrezinhos, estar muito gratos por este tipo de gestão existir e ignorar a justa distribuição das riquezas criadas pelos seus verdadeiros PRODUTORES. TÓBRIGADA!

Deixar uma resposta