Variação média anual de preços continua negativa mas menos

A variação homóloga do índice de preços no consumidor em outubro de 2014 foi nula o que representa um aumento significativo (de 4 décimas) face ao que se havia registado no mês anterior. Passar de -0,4% para 0,0% entre setembro e outubro contribuiu para que a variação média anual dos preços (a taxa de inflação) aumentasse de -0,3% para -0,2%. É assim menos negativa mas ainda negativa, ou seja, em média, os preçso continuam a descer e não a subir.

O indicador de inflação subjacente que exclui os produtos alimentares não transformados e energéticos, registou uma variação homóloga de 0,2%, ligeiramente acima dos 0,1% do mês anterior. O reforço da descida de preços parece assim contido sendo agora mais provável esperar um longo período de taxas de inflação baixas. Sublinhe-se que o aumento dos impostos sobre alguns produtos de consumo previstos no Orçamento do Estado de 2015 e os associados à fiscalidade verde, poderão dar um impulso à taxa de inflação a partir do início de 2015.

Eis quem “puxou” a inflação para cima e para baixo, em termos homólogos, em outubro de 2014, segundo o INE:

“(…) Nas classes com contribuições positivas para a variação homóloga do IPC salienta-se a da Habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis (classe 4), com uma variação homóloga de 2,6% (0,3 p.p. superior à do mês anterior), influenciada em grande medida pelo sub-subgrupo das Rendas efetivas pagas por inquilinos de residências principais.

É ainda de referir o contributo positivo das classes dos Restaurantes e hotéis (classe 11), com uma variação homóloga de 1,6% (0,3 p.p. inferior à registada em setembro de 2014) e das Bebidas alcoólicas e tabaco (classe 2), com uma variação homóloga de 3,2% em outubro (3,7% no mês anterior).
A classe com maior contribuição negativa para a variação homóloga do IPC foi a do Vestuário e calçado (classe 3), com uma variação homóloga de -2,2% em outubro (-1,0% no mês anterior), seguida da classe dos Transportes (classe 7), com uma variação homóloga de -1,4% (variação de -1,1% no mês anterior). (…)”

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.