Militares e policias vão poder abandonar subsistemas de saúde

Militares e polícias poderão a partir de 2014 abandonar os respetivos subsistemas de saúde ficando assim em situação de paridade com o que já acontece com os funcionários públicos (ver “Contribuição para a ADSE pode chegar aos 3,5%: pode evita-la saindo do sistema“).

Esta garantia terá sido prestada pela ministra das finanças e pelo ministro da presidência no final do conselho de ministros de 9 de janeiro de 2014 (ambos citadas pelo Negócios). Note-se, contudo, que, para já, o abandono não é reversível.

O aumento da taxa da ADSE ou de regime comparável para os 3,5% deverá ser implementado a partir de março. Para já está ainda em processo legislativo.

Tagged under:

9 Comentários

  • PedroResponder

    Por muito tentadora que seja a ideia, ao fazê-lo estamos a ir ao encontro dos verdadeiros intentos desta gente, que é a privatização total da saúde.

  • pedroResponder

    Vamos passar a ter nestes sistemas apenas aqueles cujo valor pago mensalmente seja baixo, criando assim um buraco ainda maior entre receita e despesa. Eu a pagar mais de 100€ por mês é que não vou ficar….Adeus ADSE…

  • CristianoResponder

    Isto parece a liberalização dos preços dos combustíveis, podes escolher mas sobem 5odos por “simpatia” uns dos outros, não temos mta opção, a final não eramos a geração rascas os outros é que eram super dotados e deixaram o lixo prós outros.

  • José Alves de MatosResponder

    ISTO É O QUE ELES QUEREM !..QUE SE ABANDONE OS SUBSISTEMAS DE SAÚDE ADM E ADSE.. VEJAM SÓ AO QUE SE CHEGOU COM ESTES GOVERNANTES DESTRUIDORES NÃO SÓ DOS SUBSISTENCIAS DA SAÚDE COMO A DESTRUIÇÃO TOTAL DO SNS E TAMBEM DA ECONOMIA DO PAÍS.

  • manuel rochaResponder

    No caso das forças de segurança onde se exige prontidão, disponibilidade permanente para o serviço, tanto físico como psíquico, vem agora o governo agravar ainda mais a vida desses profissionais com mais cortes nos vencimentos e aumentos nos seus subsistemas de saúde. Só tem uma leitura. Acabar com tudo. Quem ficará a perder, será a SEGURANÇA pelas razões atrás apontadas. Acho uma aberração não olhar a meios para atingir os seus fins. O Povo ao eleger os seus representantes não esperava em tão pouco tempo tantas medidas avulsas ausente de uma avaliação séria, sem ter em conta os prós e contras dessas mesmas medidas.

  • FAXResponder

    Os militares já não são MIlitares, são apenas funcionários públicos que estão 24H disponiveis longe das suas familias, que a unica coisa que os distingue são umas meras passadeiras em cima dos ombros, passadeiras que já nada valem, é triste ver as forças armadas a se tornar em funcionarios publicos. As chefias militares estão a compatuar com este desmornamento a que se assiste. Cada vez menos são os militares que querem ficar nos quadros, aliciados apenas por um vencimento garantido mensal, mas que cada vez é mais encurtado e retiradas as “regalias” que mantinham os militares minimamente “confortaveis”. Promocoes congeladas, cortes nos vencimentos, aumento dos impostos e diminuicao dos servicos minimos garantidos aos militares e prontidao a H24 365 dias por ano, valerá a pena so sacrificio, erguer a bandeira da patria ao ombro é um orgulho, mas o orgulho tem um preço.

  • !Responder

    os liberais estão a ganhar a batalha…

  • José MoreiraResponder

    estes individuos, que só nos desgovernam é que deveriam abandonar, não era o sistema de saúde era o País, não fazem cá falta nenhuma.

  • Manuel FernandesResponder

    Mas alguém quer saIr da adse?????E eu queria era entrar.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.