IRS: Reembolsos podem aumentar apesar de deduções estarem em queda

Tal como a Deloite havia afirmado há cerca de um ano (ver “Reembolso do IRS pode disparar em 2014“) agora é a vez da PwC vir sublinhar que as retenções em excesso praticadas no privado ao longo de 2013, induzidas por tabelas de retenção mensal desalinhadas com as taxas marginais anuais de IRS, deverão provocar um aumento dos reembolsos de IRS entre estes contribuintes.

Ignorando as oscilações das deduções, o reembolso, em algumas simulações deverá duplicar. Considerando as oscilações nas deduções (que diminuíram) o efeito do erro intencional nas retenções não será tão elevado, mas deverá ainda ser significativo para muitas famílias. São pelo menos estas as contas das consultoras.

Em suma, a diminuição (ou mesmo desaparecimento integral) das deduções e benefícios fiscais que se agudiza em 2014 (sobre rendimentos de 2013) para vários contribuintes, poderá não ser suficiente para uma redução média dos reembolsos a atribuir em 2014, precisamente devido às taxas de IRS terem obrigado os contribuintes a emprestar dinheiro ao Estado durante 2013. Dinheiro esse que deverá ser devolvido, sem juros, até 31 de agosto de 2014.

Entretanto, não se esqueça, a entrega do IRS (em papel) já está em curso. Recorde aqui o Calendário e prazos de entrega e reembolso do IRS em 2014.

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.