Espera por impressos do Novo Banco põe em cheque atividade das PME

Afinal nem tudo está a correr dentro da normalidade na operação do Novo Banco. A passagem do BES para a nova instituição está a começar a provocar dificuldades operacionais importantes a muitas PME que se podem revelar sérias caso a situação não se resolva rapidamente. Chegaram-nos relatos fidedignos de que algumas operações associadas à gestão de créditos de curta duração concedidos a PME há muito clientes do BES que estão a provocar sérios problemas operacionais com potencial para gerarem efeitos em cascata junto de fornecedores e demais credores (Estado inclusive). Estará em curso um período de espera por impressos do Novo Banco.

De entre os relatos recebidos destacamos um que se prende com a reforma de livranças que, apesar de já aprovadas pelos serviços de proximidade do Novo Banco encontraram um empecilho inusitado no momento da formalização: tudo foi suspenso por ordem superior até que surjam nas agências do Novo Banco os impresso já atualizados com a nova marca da instituição. Algo que não tem ainda data de disponibilidade garantida segundo apurado junto do banco.

O aspeto negativo desta situação prende-se com o congelamento automático das contas das PME que tenham livranças a vencer (com a criação de descobertos no valor das livranças) sendo tratados de forma indiferenciadas clientes com problemas de crédito e clientes que tendo já obtido as respetivas autorizações do ramo operacional do banco para a renovação do crédito ficam impedidos de operar enquanto não se puder concluir o processo (esperando os impressos). Com as contas usadas na contabilidade corrente congeladas será uma questão de dias até que as consequências com efeito domino comecem a surgir com graves danos para as PME e agentes económicos com elas relacionados. A operação das próprias empresas, dependendo do ramo de atividade e das obrigações que comecem a ficar por cumprir, poderá em breve ser colocada em causa.

Apesar dos relatos recebidos, não temos perfeita noção da abrangência e gravidade do problema contudo continuaremos atentos a novos desenvolvimentos. Caso tenha algum testemunho útil sobre este tema não hesite e contactar-nos com o seu relato.

Tagged under:

1 Comentário

Deixar uma resposta