Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia

Dívida pública mais do que duplica em 8 anos e acelerou mais em 2009, 2011 e 2012

Com a divulgação dos mais recentes dados oficiais relativos à evolução trimestral da dívida pública nos vários países da União Europeia, por parte do Eurostat, decidimos fazer algumas contas sobre este indicador focando-nos em Portugal e tomando por análise o período entre o primeiro trimestre de 2005 e o segundo trimestre de 2013.

Verifica-se, por exemplo que a dívida pública estagnou entre 2006 e 2008 e que mais do que duplicou entre 2005 e 2013 (2º trimestre) passando de um mínimo de 62,6% registado precisamente no início do período para um máximo de 131,3% registado no final do período analisado. Constata-se também que a dívida pública já cresceu mais, em pontos percentuais, entre o início de 2011 e o segundo trimestre de 2013 do que no período anterior compreendido na análise.

Em ambos os casos, acima dos 30 pontos percentuais.

dívida pública

Outro exercício que efetuámos foi o de verificar a “velocidade” a que cresceu o rácio da dívida pública sobre o PIB. Verifica-se que, tomando as variações anuais no último trimestre de cada ano, este rácio aumentou 16,7% em 2009, 15,1% em 2011 e 14,7% em 2012, isto para sinalizar apenas os três piores anos quanto a este indicador. O ano de 2007 pelo contrário foi o único a registar uma quebra da dívida pública face ao PIB.

Em conclusão, a dívida pública continuou a aumentar ao longo de todo o período face à riqueza produzida no país e os últimos dois anos estiveram entre os três piores em termos de ritmo de agravamento da dívida entre 2005 e 2012. Se tomarmos em conta apenas os dados mais recentes, relativos ao segundo trimestre de 2013, o rácio da dívida pública no PIB aumentou 11,3% face a igual trimestre no anterior, tendo subido 13,2 pontos percentuais.

Face a isto, a dívida pública está tornar-se mais sustentável?

Tagged under:

1 Comentar...

  • AzucrinaResponder

    Podiam era explicar o motivo do aumento da divida nestes últimos 2 anos e a quase deve, se ao aumento do consumo,se aos juros da divida anterior?

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.