PIB acelera ritmo de queda: -3,4%

A estimativa rápida do INE relativa à evolução do Produto Interno Bruto no terceiro trimestre de 2012 retrata uma contração mais acelerada da economia nacional apontando para uma queda do PIB que terá sido de 3,4% entre julho e setembro de 2012 quando comparado com o mesmo trimestre de 2011. Recorde-se que no segundo trimestre a variação homóloga havia sido de -3,2%.

Segundo o INE esta evolução justificou-seda seguinte forma:

A procura interna apresentou um contributo menos negativo para a variação homóloga do PIB, traduzindo a redução menos expressiva do Investimento. Em sentido contrário, o contributo positivo da procura externa líquida diminuiu significativamente, em resultado da redução menos acentuada das Importações de Bens e Serviços e do abrandamento das Exportações de Bens e Serviços.

Estes dois sinais avançados pelo INE são tudo menos animadores face a qualquer perspectiva que pudesse apontar para uma recessão regeneradora, ou,  de algum forma, virtuosa face a uma expectativa de futura melhoria.

No final, da conjugação de forças resultou uma perda da riqueza gerada superior à que se vinha registando.

Recorde-se que indicadores de referência com o défice público medido em percentagem do PIB, oscilam por via das oscilações do valor monetário do défice mas também sempre que o próprio PIB se altere. Uma retração do PIB implica, com tudo o resto constante, um aumento do défice público.

Tagged under:

Deixar uma resposta