Cerca de uma em cada três instituições de crédito apanhadas a desrespeitar taxas de juros máximas legais

Os limites máximos das taxas de juro no crédito divulgados trimestralmente pelo Banco de Portugal (ver aqui “” as últimas por nós referidas) não estão a ser respeitadas por uma parte significativa dos intermediário financeiros. O i Online destaca esse aspecto do relatório ontem divulgado pelo Banco de Portugal na peça “Crédito ao consumo. Mais de um terço das instituições cobra juros acima do permitido”. Um excerto:

“ (…) A fiscalização das taxas permitiu detectar indícios de não cumprimento em mais de um milhão de contratos, abrangendo 39 instituições. “Da análise jurídica e financeira entretanto concluída, abrangendo 804 daqueles contratos, apurou-se que em 75, envolvendo 23 entidades, as TAEG tinham efectivamente ultrapassado as taxas máximas aplicáveis”, avança o relatório.

Sem prejuízo das sanções aplicadas, o supervisor concede três dias às instituições para corrigirem as irregularidades ou os incumprimentos detectados. (…)”

Tagged under:

1 Comentar...

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.