Ernst & Young processada por fraude no caso Lehman Brothers (act.)

“O procurador-geral de Nova Iorque processou esta terça-feira por fraude a multinacional de auditoria e contabilidade Ernst & Young, acusando a empresa de ajudar o Lehman Brothers a esconder milhares de milhões de dólares em perdas, antes da falência deste banco, avança a Lusa. (…)”

in Agência Financeira.

Quando iniciámos a nossa carreira profissional há pouco mais de 10 anos havia 7 grandes auditoras multinacionais, depois houve o caso Enron envolvendo a entretanto “defunta” Arthur Anderson e desencadeando um processo de grande concentração que conduziu à situação actual onde temos 4 grandes auditoras multinacionais. Como ficará o cenário depois deste que ameaça ser mais um escândalo de grandes proporções e que parece repetir os piores erros que se podem imaginar ao nível daquilo que se espera de um auditor?

Nos EUA perceberam que não é só a instituição financeira que deve estar em cheque, a factura parece estar a chegar a todos os pilares.

Neste caso o que parece estar em causa são práticas de “window dressing” que apesar de provavelmente serem legais se exige que sejam comunicadas de alguma forma ao mercado, pelo menos através das notas dos relatório financeiros trimestrais. Continuaremos a acompanharo  caso.

Mais artigos recentes sobre o assunto:

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.