Não há dignidade nenhuma na fome

Seria preferível que o Banco Alimentar não tivesse que existir, seria preferível que ninguém tivesse de recorrer à caridade de outrem, mas enquanto esse mundo mais próximo do ideal não surge, enquanto a demagogia servir de forma eficaz quem demoniza um mínimo bem como quem demoniza tudo o que não for o máximo, apoiar quem precisa é um imperativo que não pode ficar à espera de um mundo melhor.

Há quem tenha fome, quem não tenha roupa, quem tenha vergonha de olhar os filhos porque é momentaneamente incapaz de lhes providenciar o que estes merecem. Se pudermos ajudar com um pouco iniciativas como o Banco Alimentar contra Fome, devidamente estruturadas e conscientes, seguramente estaremos a ajudar a condição de vida de alguém ainda que não estejamos certos de estar a fazer tudo o que devemos fazer para aquela que deve ser a justa emancipação de cada um de nós.

Em suma, não há dignidade nenhuma quando um de nós não tem que comer, por isso ajudemos. Preocupemo-nos depois com o patamar seguinte.

O Banco Alimentar estará a efectuar a recolha de donativos em todo o país nos dias 29 e 30 de Maio, particularmente junto das grandes superfícies comerciais.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.