O aspecto positivo do aumento do preço da energia

Projectando-nos no futuro que será ainda o da grande maioria daqueles que nos lê, convém sublinhar que o continuo aumento do preço dos combustíveis que se tem verificado e que se verificará no futuro, terá inevitavelmente uma consequência já visível que se espera seja reforçada de forma significativa: o lançamento de alternativas tecnológicas ao nível da geração mas também do consumo de energia.

E é particularmente ao nível das novas tecnologias a incorporar nos bens de equipamento que me parece estarmos mais longe do futuro desejável. É ao nível da tecnologia que faz mover os transportes (actualmente os grandes consumidores de combustíveis fósseis nos países mais desenvolvidos) mas também de uma infindável quantidade de electrodomésticos e de equipamentos industriais que há um longo caminho a percorrer. Entre tecnologia que está semi-desenvolvida, em alguns casos há anos, mas que espera melhores dias (condições favoráveis no mercado) para ser produzida em larga escala e tecnologia que temos de desenvolver, há um ror de trabalho, científico, político e socio-cultural a fazer, tal como há uma imensidão de vontades e de consciências que têm de ser envolvidas no processo.

A boa notícia do aumento dos preços é que a cada novo aumento haverá maior pressão para que tecnologias engavetadas mas mais eficientes no consumo de energia vejam a luz do dia da produção e entrem em competição directa com as já existentes. Haverá também mais recursos disponibilizados para desenvolver novas ferramentas, novos equipamentos mais económicos em termos de consumo energético. Por outro lado, haverá maior pressão sobre quem tem “investido” em manter o status quo, nomeadamente entre os que têm hoje mais a perder com a reconversão energética e que, como sabemos, não deixam por mãos alheias a defesa dos seus interesses.

Finalmente, a subida dos preços dos combustíveis potencia a eficácia de medidas de política económica e fiscal que os Estados desenvolvam no sentido de acelerar a resposta do mercado ao inevitável novo paradigma: acabou-se a energia a preço da chuva ácida (digo ácida que a outra também já vai sendo muito valiosa).

Voltarei a este tema. Inevitavelmente.

1 Comentar...

  • Guilherme riboliResponder

    vcs todos são muito estranhos… ¬¬

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.