Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia

Investimento e Exportações provocam desaceleração do PIB

Na Síntese Económica de Conjuntura (publicação mensal) o INE antecipa hoje algum do detalhe que esteve por trás da estimativa rápida para o PIB no 1º trimestre. Os “culpados” terão sido mais o investimento e as exportações do que o consumo privado e, claro, o Tiui, esse heroi improvável que nestas contas se chama “efeitos de calendário”. Espreitemos um excerto da publicação do INE:

(…) No plano interno, a estimativa rápida para o PIB aponta para um crescimento homólogo de 0,9% no 1º trimestre, menos 0,9 p.p. do que no trimestre anterior. Este abrandamento estará relacionado com o menor dinamismo da procura interna, particularmente do investimento, e reflectirá também efeitos de calendário significativos (mais 3 dias úteis no 4º trimestre de 2007 e menos um dia útil no 1º trimestre de 2008, face aos trimestres homólogos). O crescimento do consumo privado terá estabilizado no 1º trimestre, em resultado da aceleração do consumo corrente e do abrandamento do duradouro. O indicador de investimento sugere um forte abrandamento, que terá resultado sobretudo da componente de construção. Relativamente ao comércio internacional, registou-se, em termos nominais, um abrandamento de ambos os fluxos, mais intenso no caso das exportações (de 0,8 p.p. para 11,2% nas importações e de 1,2 p.p. para 4,6% nas exportações). Dada a forte aceleração dos preços do petróleo, o abrandamento das importações em volume terá sido mais expressivo do que o registado em termos nominais. Os indicadores do lado da oferta, como os índices de volume de negócios e de produção, apresentaram variações homólogas mais baixas no 1º trimestre de 2008 face ao 4º trimestre de 2007. Este andamento justifica-se principalmente pelas fortes diminuições ocorridas nas variações homólogas em Março, o que estará associado em parte a efeitos de calendário (mais um dia útil em Fevereiro e menos 2 dias em Março comparativamente aos meses homólogos de 2007). Refira-se a excepção do volume de negócios do comércio a retalho, cuja aceleração se deverá em parte ao facto de, em 2008, a Páscoa ter ocorrido em Março (em Abril em 2007). (…)”

1 Comentar...

  • AnónimoResponder

    Bonito boneco para ilustar o artigo!

    Será a Tia Manela???!!!

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.