Histórico de Etiquetas: PIB

PIB em Desaceleração há Quatro Trimestres

O PIB em desaceleração há quatro trimestres conforme o confirma os dados do primeiro trimestre de 2016 revelados pelo INE. Há exatamente um ano registou-se a melhor variação homóloga dos últimos nove trimestres (1,7%) tendo-se registado, desde então, quatro desacelerações sucessivas: 1,5%, 1,4%, 1,3% e 0,8%, esta última no início de 2016. Nas variações quanto

PIB Cresceu 1,3% no Último Trimestre de 2015

O INE reviu ligeiramente em alta a sua estimativa rápida relativa à variação homóloga do PIB no quarto trimestre de 2015. PIB cresceu 1,3% no último trimestre de 2015: Depois de na primeira estimativa ter estimado que o PIB teria crescido 1,2% agora, com mais dados definitivos, conclui que o PIB cresceu 1,3% no último

PIB de 2015 fecha nos 1,5% em franca desaceleração

O PIB de 2015 fecha nos 1,5% mas em franca desaceleração. De facto, os melhores trimestres do ano foram os dois primeiros, nos quais o PIB cresceu, em termos homólogos, à taxa de 1,6%. No terceiro trimestre o ritmo de crescimento abrandou para 1,4% e no último trimestre do ano, segundo as estimativas rápidas do

PIB desacelera no 3º trimestre de 2015 e põe em risco previsões do governo e da Comissão Europeia

O PIB português cresceu 1,4% no terceiro trimestre de 2015 quando comparado com o mesmo trimestre de 2014. Recorde-se que nos primeiros trimestres de 2015 o PIB havia crescido 1,6% em termos homólogos. Face ao segundo trimestre de 2015 (variação em cadeia) registou-se uma estagnação tendo o PIB registado uma taxa de variação nula (havia

PIB mantém ritmo de crescimento (abaixo das previsões)

A estimativa preliminar do INE relativa ao PIB do segundo trimestre de 2015 revela que o crescimento da economia portuguesa de manteve estável nos 1,5%, valor já registado no primeiro trimestre do ano. Tal como então, este valor fica acima do crescimento médio da Zona Euro (cujo crescimento passou de 1,0% para 1,2%) ainda que

Há cinco anos que as despesas de saúde pesam cada vez menos no PIB

Na divulgação da Conta Satélite da Saúde feita pelo INE, conclui-se que há cinco anos que as despesas de saúde pesam cada vez menos no PIB (calculado em termos nominais). Segundo o INE: “Desde 2010 que a despesa corrente em saúde tem registado taxas de crescimento nominais inferiores às do PIB. Na década anterior, esta situação

Consumo privado continua a explicar integralmente o crescimento do PIB (act.)

Segundo os dados mais detalhados sobre a contas nacionais trimestrais relativas ao primeiro trimestre de 2015, o crescimento homólogo do PIB de 1,5% no início de 2015 foi explicado pela procura interna.  A procura externa líquida beneficiando de uma conjuntura cambial particularmente favorável registou um crescimento das exportações e das importações com impactos que se

Crescimento do PIB na Zona Euro mantém-se baixo

Tal como aqui descrevemos no artigo “Crescimento do PIB acelera mas frustra expectativas” a conjuntura macroeconómica dificilmente poderia ser mais favorável em termos de câmbio, custos de produção e apoio monetário mas a verdade é que essa trindade historicamente favorável não está a ser suficiente para que a economia da Zona Euro ultrapasse, pelo menos

Despesas das famílias compensa quebra da balança comercial e PIB acelera

A despesas das famílias compensa quebra da balança comercial e PIB aumenta no terceiro trimestre de 2014. Em termos homólogos o PIB cresceu 1%, ligeiramente acima dos 0,9% registados no trimestre anterior. Este incremento é justificado pelo ine com “um contributo mais intenso” da procura interna, com destaque especial para as Despesas de Consumo Final

Top