Volume de Negócios dos Serviços Termina o Ano em Forte Crescimento

A evolução do volume de negócios do setor dos serviços ao longo do ano de 2016 impressiona positivamente ao terminar o ano com um crescimento homólogo entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016 de 9%, muito distante das taxas negativas com que o ano se iniciara.

 

Volume de Negócios dos Serviços Termina o Ano em Forte Crescimento

O 4º trimestre foi de longe o mais dinâmico (+7,6% de variação homóloga) tendo o maior ritmo de crescimento mensal sido precisamente o do dezembro, onde os 9% de variação homóloga acrescentaram “velocidade” aos 8% já registados em novembro com a nota adicional de resultarem de variações positivas em todas as secções do setor dos serviços.

No conjunto do ano, o índice de volume de negócios nos serviços apurado pelo Instituto Nacional de Estatística, cresceu 1,5%, o que compara com a queda que se havia apurado em 2015 de 2,6%.

Volume de Negócios dos Serviços Termina o Ano em Forte Crescimento
Volume de Negócios dos Serviços Termina o Ano em Forte Crescimento – Dezembro de 2016
Fonte: INE

Por secções o INE destaca o seguinte, relativamente ao volume de negócios:

“As secções que mais influenciaram o comportamento positivo do índice agregado foram a de Comércio por grosso; reparação de veículos automóveis e motociclos e a de Transportes e armazenagem, com contribuições de 5,5 p.p. e 1,2 p.p., respetivamente. As variações homólogas destas secções foram 9,7% e 7,9% (10,1% e 6,9%, pela mesma ordem, em novembro).”

Neste inquérito, o INE apura os Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas nos Serviços e indo além do volume de negócios, verifica-se que evolução dos restantes indicadores se apresenta alinhado com o registo do volume de negócios, melhorando face a 2015:

“Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 3,4%, 4,2% e 1,9%, respetivamente (2,7%, 3,4% e 1,7% em novembro, pela mesma ordem). No conjunto do ano de 2016, estes três índices registaram taxas de variação médias de 1,6%, 2,1 % e 0,5%, respetivamente (1,0%, 1,9% e 0,8% em 2015).”

Mais informação no sítio do INE.

GOSTOU DO QUE LEU?
Então não perca nenhum dos nossos artigos.
Receba um EMAIL diário com os resumos:

.