Portugal vende €109,2 por cada €100 que compra – outubro 2016

Em outubro de 2016, a balança comercial de serviços mais que compensou degradação na de bens. De facto, a balança comercial de bens havia registado em outubro de 2016 uma agravamento da taxa de cobertura das importações pelas exportações dado que as exportações haviam caído mais do que as importações. Contudo, quando se obtém a imagem completa do comércio internacional de Portugal, ou seja, quando se junto os serviços (onde se inclui o turismo) aos bens, o conjunto da balança comercial de bens e serviço revela um crescimento das exportações de !% e uma queda das importações de 1,8%.

O resultado líquido destas evoluções parcelares é o de o país como um todo estar a conseguir vender 109,2 euros por cada 100 euros que adquire ao exterior.

Olhando especificamente para os dados agora revelados pelo Banco de Portugal relativos a balança de pagamentos onde se revelam os fluxos com o exterior envolvendo serviços, constata-se que, em outubro de 2016, as exportações aumentaram 11,2% em termos homólogos (muito acima da média anual até ao momento) enquanto as importações caíram 0,5% nesse mesmo indicador.

Regressando à análise global, uma última nota para destacar que a melhoria da taxa de cobertura registado em outubro sucede a uma outra ocorrida em setembro que, nesse mês, havia sido suportada por exportações (+5,1%) e importações (+2,3%) em crescimento mais evidente.

No conjunto dos primeiros 10 meses de 2016, regista-se um crescimento marginal das exportações de bens e serviços (+0,5%) e uma queda ligeira (1,1%) das importações.

De janeiro a outubro de 2016, as exportações e as importações de bens e serviços registaram variações homólogas de 0,5% e de -1,1%, respetivamente. A taxa de cobertura das importações pelas exportações de bens e serviços situou-se em 107,1%. Para o mesmo período, as exportações e importações de bens registaram variações homólogas de -1,0% e de -1,5%, respetivamente. No período em análise, as exportações de serviços registaram uma variação homóloga de 3,2% e as importações de serviços registaram uma variação homóloga de 0,7%.

Eis um excerto do comunicado do Banco de Portugal:

“(…) Nos primeiros dez meses de 2016, o saldo conjunto das balanças corrente e de capital situou-se em 2282 milhões de euros, inferior aos 2707 milhões de euros apurados em igual período de 2015 (Gráfico 1). A redução foi determinada pelo comportamento das balanças de rendimentos primário e secundário e da balança de capital, uma vez que o excedente na balança de bens e serviços aumentou 942 milhões de euros em relação ao mesmo período de 2015, para 4179 milhões de euros. Para este aumento contribuíram tanto a redução das importações, em 1,1 por cento (variações de -1,5 por cento nos bens e 0,7 por cento nos serviços), como o aumento das exportações, em 0,5 por cento (variações de -1,0 por cento nos bens e 3,2 por cento nos serviços).”

Balança comercial de serviços

 

Deixar uma resposta