“Privatizar lucros, socializar prejuízos”

O recente (e vigente) caso da negociação da Vivo detida em partes iguais pela PT e pela Telefónica e, nomeadamente, a intervenção de um accionista com direitos preferênciais (o Estado), tem gerado diversas reacções. Junto hoje um destaque ao artigo de Nicolau Santos “O Estado fez muito bem!” que vem em boa parte na linha … Ler mais

E se a “golden share” for de um privado já não há problema?

Talvez o nome técnico não seja “golden share” mas admitamos que há um accionista privado que tem uma posição nos direitos de voto de uma empresas desproporcionada face às acções detidas, chamemo-lhes direitos preferenciais. Por exemplo, imagine-se que tem acções de uma categoria xpto equivalentes a, por hipótese, 30% do capital social, mas que lhe … Ler mais