Como poupar dinheiro através de um cartão de crédito?

Conteúdo Patrocionado

O uso de um cartão de crédito é ainda visto pela maioria dos portugueses como um instrumento perigoso no caminho para o endividamento. Mas a verdade é que, se se conhecer bem o produto e como o utilizar, é possível até sair-se a ganhar com um. Nesse sentido, partilhamos algumas dicas que quem tem um cartão de crédito, ou pensa adquirir um, deve utilizar para poupar dinheiro.

Utilize plataformas de comparação

Se antigamente quem queria perceber qual era o melhor cartão de crédito tinha que ir de banco em banco perceber as diferentes características, agora há sites que fazem a comparação em poucos minutos. É o caso do ComparaJá.pt que lhe permite, clicando aqui, ver – de forma atualizada – quais são os melhores cartões de crédito do mercado.

Esta plataforma permite, com base num série de parâmetros, perceber qual o cartão mais vantajoso. É possível comparar cartões por ordem da sua TAEG, mas também por anuidade a pagar ou oferta específica (como pontos ou descontos). Será assim possível escolher o melhor cartão, dependendo das suas necessidades específicas.

Pague a 100% e evite os juros

Nem sempre a utilização do cartão de crédito implica que pague juros no final do mês. Há forma de contornar esta faceta mais “temida” do cartão de crédito, mas só se fizer pagamentos a 100%. Mas que significa isto?

Pode acordar, com a instituição, uma data-limite de pagamento das compras que faz com o cartão de crédito. Grosso modo, imaginando que esse é o dia 23 do mês, todos os gastos que faz com o cartão de crédito são-lhe descontados, na totalidade, nesse dia. E, se pagar tudo a 100% (a alternativa, que significa pagar juros, é fazer o pagamento em tranches), os juros já não entram para a equação.

Saiba jogar com as ofertas a seu favor

Já verificou se o cartão que tem oferece vantagens, descontos, pontos ou cashback? Muitas vezes, quem não procura comparar o mercado, cinge-se à oferta de cartão de crédito do banco de sempre e não adquire outro que lhe pode oferecer um vasto rol de benefícios.

Por exemplo, há uma série de cartões que oferecem percentagens atrativas de cashback aos seus titulares. Ou seja, por cada compra que faz, uma pequena percentagem, reverte a seu favor. Normalmente, este valor oscila entre 1% e 2%. Em suma, em cada 100 euros, 2€ são devolvidos.

Outros oferecem descontos (e aqui cada cartão ou instituição têm as suas parcerias) em hóteis, restaurantes, lojas e afins. Outros ainda oferecem pontos, que depois podem ser trocados por ofertas. E, por fim, há aqueles que dão milhas áreas, que permitem – se for acumulado o suficiente – viajar sem lugar a pagamento da passagem.

Ter cuidado com o que se faz com o cartão no estrangeiro

Há aqui dois termos a reter: pagamentos e cash advance. As operações com cartão de crédito no estrangeiro têm, normalmente, um custo associado. Tanto nos pagamentos, como nos levantamentos (que é o cash advance), é cobrada uma comissão por operação.

Para se ter uma ideia do valor em causa, em certos casos, ao levantar dinheiro no estrangeiro, pode pagar até 13 euros ou 15 euros por 100 euros levantados, dependendo se está dentro da União Europeia ou numa outra região.

Mas nem todos os bancos têm os mesmos custos, sendo que há uns que cobram mais do que outros. Daí sair mais uma vez reforçada a mensagem: antes de adquirir um cartão de crédito, importa muito bem ver o que é que o mercado está a oferecer.

Tagged under:

3 Comentários

  • ALEXANDRE SIMOESResponder

    É tudo uma questão de Controle !
    Além dos descontos, é prático!
    Ao, “esticar a perna à medida, do lençol ” !
    Por essa razão, do Gold, abdico !!!

  • Rodolfo JorgeResponder

    é bom artigo este, gosto sempre de aprender a poupar com instrumentos que à primeira vista só nos fazem perder dinheiro.

    temos que usar as ferramentas ao nosso dispor e não nos deixar levar por elas

  • Vitória MeloResponder

    Muito sinceramente, este artigo foi útil. Não fazia a mínima ideia da questão do pagamento a 100% e, infelizmente, já fui vítima dos pagamentos no estrangeiro. Mas agora só utilizo o cartão de cre´dito em meu benefício.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.