Entrega de IRS 2017: Sustos e bugs no preenchimento

Feita a primeira simulação do IRS via Portal das Finanças, dá para perceber que ainda há muito para andar em termos de integração de informação no pré-preenchimento. Desde logo, o ideal é descarregar a aplicação do IRS das finanças e usar o simulador para o IRS 2017 lá embutido. Tentar entregar diretamente via browser é cada vez mais difícil face à incompatibilidade com o java (a linguagem da aplicação desenvolvida pela Autoridade Tributária há vários anos). Mas vamos a um conjunto de comentários mais ordenados.

 

Entrega de IRS 2017 – Eis alguns exemplos:

  1. Os pagamentos por conta realizados ao longo do ano não surgem automaticamente incluídos na declaração; Se o contribuinte se esquece, pagará a mais;
  2. Porque é necessário todos os anos indicar os dependentes? Devia ser ao contrário, por definição,  mantinha-se o cadastro do ano anterior. Se ele for diferente, então sim o contribuinte altera. Só esta situação deve provocar alguns sustos em quem vá de imediato para o botão de simulação sem perceber que tem de introduzir os dependentes à unha;
  3. Pelo menos os atos isolados (os recibos verdes eletrónicas de quem não tem atividade aberta) não dão origem a um anexo de categoria B. Tal não deveria ser automático, tal como sucede com os recibos verdes eletrónicos de quem tem atividade aberta?
  4. Pelo menos a informação sobre rendimentos prediais surge incompleta a vários contribuintes o que é estranho dado que são situações em que os recibos de renda foram emitidos eletronicamente através do Portal;
  5. O simulador apresentado continua a não “descansar” o contribuinte em termos de deduções e benefícios pois tudo se faz na sombra (ou consta noutros sítio); a incorporação dos dados enviados pelas instituições à AT referentes a cada contribuinte fica algures atrás das janelas da máquina fiscal. No simulador da liquidação do IRS a informação não surge discriminada;
  6. Por outro lado, como já dissemos, é quase impossível preparar a entrega da declaração sem descarregar uma versão do software das finanças no PC pois são raros os browsers que suportam java; mais barreiras que nem todos saberemos superar de forma autónoma;
  7. Seria simpático que surgisse, na validação, uma informação do género “Não indicou nenhum entidade beneficiária da sua consignação de IRS, se desejar indicar clique aqui“. Outra hipótese seria, tal como se faz com o IBAN, perguntar se quer continuar a consignar o IRS à mesma instituição que no ano anterior. Instituir este protocolo representaria menos uns tostões para o orçamento do estado mas dar-se-ia melhor sequência ao espírito da consignação.

E para já é tudo, mais surgirão certamente, como sugestões de melhoria ao longo dos próximos dias.

Juntem as que tiverem, se desejarem, na caixa de comentários em baixo.
Bom IRS!

 

Pode acompanhar artigos mais recentes sobre o tema aqui em =>  IRS 2017.

143 thoughts on “Entrega de IRS 2017: Sustos e bugs no preenchimento

  1. Boa noite Sr Vitor Valente, ao submeter a declaração aparece o aviso 073W “deve preencher o quadro 9 do anexo G ou o quadro 92A do anexo J porque foram transmitidas(alienadas) partes sociais ou outros valores mobiliários”.
    Não faço ideia do que se trata.Devo optar por submeter na mesma?
    Obrigado

  2. Vitor Valente, o reembolso foi efectuado hoje, quase um mês e meio depois de ser entregue a declaração, mas como mais vale tarde que nunca, não tenho que me queixar. Mais uma vez agradeço a sua preciosa ajuda, que foi inestimável. Um abraço. LR

  3. Boa tarde Sr.João a minha opinião e que deve entregar a sua declaração, ( hoje é o ultimo dia para o fazer bem ou mal ) abre os anexos cujo o sistema indica, se se aplicar a si, Ok, preenche se não no fim quando submete aparece um alerta e clica no quadrado e mete um visto e submete novamente a declaração , (em suma,trata-se de um aviso baseado em cruzamento de dados) ex:acções,heranças,etc,etc, um ou dois dias depois imprime a prova de entrega e confere tudo, se fôr preciso fazer alguma alteração, faz, tem 30 dias para o fazer, não tem coima, pode indo verificar se a declaração foi dada como certa, mesmo assim consulte a parte (Divergências) pode lá estar alguma informação para actuar. um abraço

Deixar uma resposta