IRS 2013: de contribuinte a credor involuntário do Estado

[wp_ad_camp_1]

O tema não é novo e já aqui o havíamos abordado (ver “Tabelas do IRS 2012 forçam retenção excessiva e levam a empréstimo gratuito ao Estado (act.)“) . Hoje, fruto de uma peça da Lusa na qual foram ouvidos vários consultores de multinacionais especializadas em fiscalidade, volta à ribalta com uma conclusão taxativa: apesar da redução das deduções à coleta previstas no Orçamento do Estado de 2012, o desenho das tabelas de retenção mensais de IRS para 2012 conduzirá muitos contribuintes a emprestadores forçados do Estado até ao momento do acerto de contas e eventual reembolso em meados de 2013. Um cenário recorrente que, segundo os especialistas, este ano se agravará para as famílias de rendimentos médios e elevados.
Um excerto do artigo reproduzido no Diário Económico:

“O aumento das retenções na fonte em 2012 não é uma nova subida de impostos uma vez que apenas reflecte a subida de impostos prevista no Orçamento. Mas quando a taxa de retenção sofre um agravamento excessivo face ao que resulta da subida de impostos constante do Orçamento do Estado, constitui um empréstimo forçado que os contribuintes fazem ao Estado e que apenas lhe é devolvido no ano seguinte quando entregam a respectiva declaração de rendimentos.”

Tagged under:

1 Comentar...

  • Ana AlmeidaResponder

    Recebi pela 2ª vez este ano ,via finanças,para pagar este imposto ,IRS 2012….?!
    Sou obrigada a pagar?! ou seja, a emprestar dinheiro a quem mo tira ?! não faz sentido algum para mim.
    gostava esclarecimento. Obrigado.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.