Quantas horas gasta a trabalhar para os seus prestadores de serviços?

Belíssimo texto de João Pinto e Castro: “O método Tom Sawyer da produtividade nos serviços“. Recomenda-se a leitura integral. Eis um excerto:

” (…) A IKEA vende mobiliário barato porque a montagem final corre por nossa conta. A economia conseguida corresponde euro por euro às horas de trabalho não contabilizadas que dispendemos no processo. Parte da fábrica foi transferida para nossa casa sem que disso nos apercebêssemos. Tornámo-nos funcionários subservientes das empresas que nos vendem produtos e serviços. Trabalhamos para elas sem horários, nem salários, nem direitos laborais. Mais: se o serviço funcionar mal, muito provavelmente a culpa será nossa.

O sistema consistente em pôr o público a trabalhar gratuitamente (ainda por cima pagando para isso) está generalizado na televisão e na rádio, cuja programação consiste cada vez mais em fóruns, reality shows, talk shows, concursos e entrevistas de rua. É o modelo Tom Sawyer de pintar a cerca da Tia Polly cobrando à garotada da rua maçãs ou berlindes pelo direito a dar umas pinceladas.
O aumento de produtividade de parte do sector dos serviços consiste em grande medida em persuadir-nos a suportarmos uma carga de trabalho cada vez maior; trabalho esse que, deixando de ser feito por empregados, assegura às empresas poupanças muito significativas. Inevitavelmente, porém, cada vez dispomos menos de genuíno tempo livre. Toda a gente se queixa de que esteve muito ocupada no fim de semana. A fazer o quê? Ora, a percorrer os corredores do supermercado, a lavar o carro, a fazer transferências bancárias, a esperar na bicha do fast food, a ensinar às crianças o que não aprenderam na escola, a reparar a impressora seguindo as instruções do call-center ou a montar estantes. Tanta modernidade deixa-nos esgotados. (…)”

Tagged under:

2 Comentários

  • ferreiraResponder

    AGRACDECIMENTO POR NOS TEREM EM CONSIDERAÇÃO
    Exmºs Sr.s (a) Deputados venho por este meio agradecer por nos terem ouvido
    ontem dia 2010 – 06 – 30 na assembleia da republica sobre o caso de despedimento
    colectivo de 112 familias do casino estoril e que mostra que todos os mails enviados
    não é pura nem mera mentira de familias em que o desespero desta ilegalidade
    que lhes bateu á porta.
    Tudo o que disse sobre a ministra é verdade nunca se preocupou em investigar até
    que ponto a empresa casino estoril com participação do estado está dentro da lei
    como da parte da fiscalização do trabalho em que no terreno detectou
    irregularidades e que a comissão de trabalhadores é testemunha os fiscais nada
    fizeram. O grave tambem é que a justiça não funciona para todos porque um juiz
    que na 1ª providencia cautelar determina que entrou cedo demais na 2ª vem
    determinar tarde demais isto para todos nós trabalhadores despedidos por
    substituição de outros em que a média de ordenados é igual não entende afinal
    como funciona a justiça neste país.
    Como o facto de o ministério do trabalho não ter posto mão neste caso ilegal mas
    pôs ao dispor da empresa uma funcionária da segurança social para tratar dos
    subsidio de desemprego de todos que estavam a ser despedidos .
    Eu pergunto será que o casino estoril está acima das leis de um país , que interesse
    tem o estado em aceitar tais ilegalidades por ultimo se os partidos politicos são os
    representantes de uma sociedade em que se diz democrática porque é que da parte
    do partido socialista PS , do partido PSD e CDS nada investigam para se saber a
    verdade os mails foram sempre enviados para todos os partidos pondo de fora o
    partido do PS pois são causadores desta situação e que arrasta mais 112 familias
    para a miséria.
    Despeço-me Agradecendo a todos os deputados do PARTIDO COMUNISTA de
    serem firmes com a VERDADE.
    Muito Obrigado

  • Pingback:TAP – de braços abertos para facturar | Maisvalias

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.